Escolha as suas informações

Luxemburgo. Nova 'lei covid' aprovada no Parlamento
Luxemburgo 14.09.2021
Covid-19

Luxemburgo. Nova 'lei covid' aprovada no Parlamento

Covid-19

Luxemburgo. Nova 'lei covid' aprovada no Parlamento

Foto: Luxemburger Wort/Anouk Antony
Luxemburgo 14.09.2021
Covid-19

Luxemburgo. Nova 'lei covid' aprovada no Parlamento

As novas regras, com ligeiras alterações em relação às anteriores, vão vigorar entre 15 de setembro e 17 de outubro.

A nova versão da 'lei covid' foi aprovada esta terça-feira à tarde no Parlamento com 54 dos 60 deputados a favor das novas medidas. 

A partir de quarta-feira só quem for vacinado, quem tiver teste com resultado negativo à covid-19 ou quem tenha sido infetado pelo novo coronavírus há menos de seis meses, poderá aceder ao interior de um hospital. As pessoas que recusarem ou não puderem apresentar um certificado de vacinação com um código QR ou que tiverem um resultado positivo no teste de auto-diagnóstico serão "recusados o acesso ao hospital", diz a lei.


Gilbert Pregno, presidente do Conselho Consultivo dos Direitos Humanos no Luxemburgo.
"Nós, os vacinados e vocês, os não vacinados", uma sociedade dividida pelo fim dos testes PCR grátis
A obrigação dos residentes passarem a pagar os testes PCR à covid-19 vai provocar uma divisão social e afastar os mais desfavorecidos da vacinação, alerta ao Contacto o presidente da Comissão dos Direitos Humanos do Luxemburgo.

O dia 15 de setembro marcará também o fim dos testes PCR gratuitos, como tem sido o caso desde o início da pandemia no contexto dos testes em grande escala. A Comissão Consultiva dos Direitos Humanos do Grão-Ducado do Luxemburgo (CCDH) tinha manifestado reservas quanto ao fim dos testes gratuitos em larga escala, temendo que as pessoas fossem para o hospital sem serem testadas, mesmo que fosse necessário.

No geral, todas as regras atualmente em vigor relativas aos ajuntamentos vão ser prolongadas. Continua, por exemplo, a ser possível receber mais de dez convidados em casa, mas apenas com CovidCheck. 

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas