Escolha as suas informações

Covid-19. Luxemburgo e Portugal com “tendência preocupante” mas risco “moderado”
Luxemburgo 25.09.2020

Covid-19. Luxemburgo e Portugal com “tendência preocupante” mas risco “moderado”

Covid-19. Luxemburgo e Portugal com “tendência preocupante” mas risco “moderado”

Foto: AFP
Luxemburgo 25.09.2020

Covid-19. Luxemburgo e Portugal com “tendência preocupante” mas risco “moderado”

Henrique DE BURGO
Henrique DE BURGO
Os Estados que apresentam atualmente um risco mais elevado são Espanha, Bulgária, Croácia, República Checa, Hungria, Malta e Roménia.

O Centro Europeu de Prevenção e Controlo de Doenças (ECDC) colocou o Luxemburgo e Portugal num grupo de Estados com “tendência preocupante” de casos de covid-19, mas com “risco moderado”.

Nesta avaliação de risco atualizada esta quinta-feira, o organismo europeu dividiu os Estados-membros em três grupos: aqueles que apresentam uma “tendência estável e um risco reduzido”, os que têm uma “tendência preocupante, mas um risco moderado” e os que evidenciam “uma tendência preocupante e um risco elevado”.

Luxemburgo, Portugal, França e mais nove países foram colocados no subgrupo com tendência preocupante, mas com um risco considerado moderado. Estes países apresentam um aumento de taxas de infeção devido às elevadas taxas de testes realizados e a transmissão é registada sobretudo em indivíduos jovens, com uma baixa proporção de casos graves e baixas taxas de notificação de morte.

Nesta avaliação, o ECDC aponta que os casos positivos de infeção com o novo coronavírus aumentaram de forma sustentada em toda a União Europeia desde agosto. Um cenário que demonstra que “as medidas tomadas nem sempre foram suficientes para reduzir ou controlar a exposição”, refere o centro europeu, advertindo que “é por isso crucial que os Estados-membros implementem todas as medidas necessárias aos primeiros sinais de novos surtos”.

Segundo o Centro, intervenções não farmacêuticas tais como distanciamento físico, higiene e uso de máscaras revelaram-se insuficientes para reduzir ou controlar a exposição ao coronavírus.

Ainda assim, a diretora do organismo, Andrea Ammon, apontou que, “até haver uma vacina segura e eficaz disponível, estas medidas continuam a ser a principal ferramenta de saúde pública para controlar e gerir os surtos” de covid-19.

De acordo com a avaliação do ECDC, os Estados que apresentam atualmente um risco mais elevado são a Bulgária, Croácia, República Checa, Hungria, Malta, Roménia e Espanha.  

*com Lusa

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas