Escolha as suas informações

Covid-19. Infeções e internamentos aumentam no Luxemburgo
Luxemburgo 2 min. 07.10.2020

Covid-19. Infeções e internamentos aumentam no Luxemburgo

Covid-19. Infeções e internamentos aumentam no Luxemburgo

Anouk Antony
Luxemburgo 2 min. 07.10.2020

Covid-19. Infeções e internamentos aumentam no Luxemburgo

Paula SANTOS FERREIRA
Paula SANTOS FERREIRA
Os casos de infeção aumentaram 19% em relação à semana anterior. O número de internamentos e de óbitos também subiu. A família continua a principal fonte de contágio, mas o setor da educação cresceu 4%.

A epidemia da covid-19 voltou a estar mais intensa no país, com mais casos de morte a lamentar. Desde o início do mês já faleceram quatro pessoas e hoje é apenas dia 7 de outubro.

“O número de pessoas que testa positivo está a subir” assume o relatório semanal do Ministério da Saúde sobre a doença no país.

Entre 28 de setembro e 4 de outubro os 38.647 testes de despistagem realizados no Grão-Ducado registaram 549 pessoas positivas para a covid-19, mais 19% do que na semana anterior. Entre 21 e 27 de setembro registaram-se 460 infeções nos 36 887 testes de despistagem.

Principais fontes de contágio

O meio familiar continua a ser a principal causa dos contágios e onde ocorreram 25% das novas infeções, seguindo-se as viagens ao estrangeiro com 13% dos casos.

Os contágios no setor da educação também aumentaram, com 7% do total de novas infeções, na semana precedente não ultrapassaram os 3%.

Contudo, o terceiro local de maior contágio revelou ser o setor profissional, sendo responsável por 8% dos casos no país entre 28 de setembro e 4 de outubro. A seguir está o setor dos cuidados de saúde (5%), a partilha de alojamento (3%), as festas de família ou entre amigos (2%) e por último as atividades de lazer (1%).

Os 549 novos casos de infeção originaram 4619 contactos, menos 1% do que na semana anterior.

Já a taxa de reprodução efetiva (rt eff) aumentou de 0,77 para 1,12 o que significa que na semana passada cada pessoa infetada foi responsável por mais do que um contágio da doença. A taxa de positividade nos testes efetuados também passou de 1,24% para 1,42%.

Internamentos aumentaram

Mais infeções com mais internamentos e das quais resultaram duas mortes. Na última semana 30 pessoas foram hospitalizadas, das quais quatro nos cuidados intensivos, contra 17 na semana anterior, em que havia duas pessoas nos cuidados intensivos. O Ministério da Saúde garante que os serviços hospitalares para a pandemia estão a funcional como sempre e "sem stress".

Ao contrário da semana anterior onde não se registou nenhum óbito, entre os dias 28 de setembro e 4 de outubro “houve dois mortos a lamentar”, elevando-se para um total de 128 mortes.

A média de idade das pessoas hospitalizadas aumentou, está agora nos 67 anos, sendo de 56 anos no balanço anterior.

Mais 664 pessoas recuperadas

A boa notícia é que nesta semana houve mais 664 pessoas a serem dadas como recuperadas da infeção da covid-19, num total de 7 793 (a 4 de outubro).

As pessoas colocadas em quarentena nesta última semana, um total de 1498 casos, diminuíram 39% em relação à semana de 21 a 27 de setembro. Em isolamento ficaram 1.091 pessoas, menos quatro pessoas do que na semana precedente.

Contudo a idade dos casos de quarentena está a aumentar. A maioria das pessoas colocadas em quarentena encontra-se agora na faixa etária dos 15-29 anos (30%), enquanto na semana precedente foi entre os 0-14 anos (31%) que se registaram mais casos obrigados a esta medida. Esta semana, a percentagem desceu para 24%, nestas idades mais jovens.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas