Escolha as suas informações

Covid-19. Governo reduz a 10 pessoas limite para reuniões em casa
Luxemburgo 2 min. 19.07.2020

Covid-19. Governo reduz a 10 pessoas limite para reuniões em casa

Covid-19. Governo reduz a 10 pessoas limite para reuniões em casa

Foto: SIP/JULIEN WARNAND
Luxemburgo 2 min. 19.07.2020

Covid-19. Governo reduz a 10 pessoas limite para reuniões em casa

Madalena QUEIRÓS
Madalena QUEIRÓS
A ministra da Saúde diz que não é possível ter metade do país em casa. Para evitar isso é preciso apostar nos gestos barreira e na distância social. As medidas que o Governo vai levar ao Parlamento diminuem o número de pessoas que podem estar juntas, e aumentam as sanções para quem não cumprir.

O primeiro-ministro luxemburguês, Xavier Bettel, anuncia novas restrições para evitar a propagação da covid-19. "A principal alteração que propomos é limitar a dez pessoas o limite para as reuniões que se realizem em casa". Haverá também sanções para "quem não cumpra as regras da quarentena".  "Temos que reagir para que o número de novas infeções diminua. Vamos trabalhar com os empregadores para fazer "campanha de sensibilização e vão aumentar também os controles da polícia". "Estamos alarmados e alerta", afirmou Xavier Bettel.

 As propostas do chefe do Governo incluem também poder sancionar as pessoas que violem a quarentena, criar a possibilidade de serem fechados, por três meses os estabelecimentos comerciais que reincidam repetidamente em não cumprir as regras de funcionamento, e apostar em campanhar de sensibilização direcionadas para as várias comunidades do Grão-Ducado.  

Estas medidas, dado que o Grão-Ducado já não se encontra em Estado de emergência, vão ser apresentadas ao conselho de Estado e votadas no Parlamento.

A ministra da Saúde, Paulette Lenert, por seu lado reafirmou "que as pessoas infetadas terão que ficar isoladas". As pessoas "terão que ser sensibilizadas para cumprir os gestos barreira porque não compreenderam a importância de manter o isolamento" caso estejam contaminadas. Por isso "é criada uma sanção" para quem não cumpra a quarentena, anunciou a ministra da Saúde. 

A ministra sublinhou que com este volume de infeções diário é impossível rastrear todos os contactos e que "não é possível ter metade do país fechado em quarentena em casa". Por isso é preciso apostar na sensiblização e conseguir que as pessoas respeitem o distanciamento social e os gestos barreira.

"Constatámos que há um aumentar de casos de covid-19", sublinhou Xavier Bettel.  Depois enunciou algumas práticas que deverão ser evitadas."Por exemplo, se alguém decidir organizar uma festa coloca-se em perigo e em perigo as pessoas que convida", sublinhou o primeiro-ministro.

"Os gestos barreira existem e quem não cumpre as regras é muito egoísta", acrescentou Xavier Bettel.

"Ficámos muito pessimistas quando chegamos aos 163 casos, num dia", mas neste momento "pensamos que há condições para otimizar a resposta", afirmou a ministra da Saúde. "Quando há um caso de um infetado, identificamos as pessoas que estiveram em contacto", afirmou.

"Os meios estão disponíveis", afirmou Xavier Bettel. Mas poderá admitir-se a hipótese de avançar com uma aplicação para identificar e seguir os infetados, afirmou o primeiro-ministro em resposta a uma questão dos jornalistas. "Pensamos que com as medidas tomadas vamos consegir controlar a situação", sublinhou a ministra da Saúde.

O "teletrabalho pode ser uma solução a manter-se" nos casos em que seja possível para limitar a contaminação, sublinhou o primeiro-ministro.  

Nos restaurantes, cafés, espetáculos e cultura "não devemos ir mais longe e mantemos as restrições em vigor", afirmou Paulette Lenert. Sublinhando que não se quer voltar atrás. 

Depois de terminar esta conferência de imprensa, Xavier Bettel regressou a Bruxelas, para a reunião do Conselhor Europeu que continua.  



Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

Xavier Bettel fala ao país às 18h00
O chefe de governo convocou para este domingo um conselho de ministros extraordinário, dedicado a medidas para combater a propagação do coronavírus, que serão apresentadas no final da reunião, em conferência de imprensa.