Escolha as suas informações

Covid-19. Governo faz balanço das medidas de apoio aos trabalhadores
Luxemburgo 14.04.2020

Covid-19. Governo faz balanço das medidas de apoio aos trabalhadores

Covid-19. Governo faz balanço das medidas de apoio aos trabalhadores

Foto: Lex Kleren
Luxemburgo 14.04.2020

Covid-19. Governo faz balanço das medidas de apoio aos trabalhadores

Diana ALVES
Diana ALVES
Alargamento e simplificação do regime de desemprego parcial foi a grande aposta do governo para evitar despedimentos em plena crise pandémica.

(Nota: Por lapso referimos que o governo iria anunciar novas medidas de apoio aos trabalhadores quando na verdade vai fazer um balanço das medidas já implementadas para fazer face à crise da covid-19. Pedimos desculpa aos nossos leitores.) 

O vice-primeiro-ministro e ministro do Trabalho, Dan Kersch, faz hoje o ponto da situação das medidas em vigor para fazer face à crise pandémica. A conferência de imprensa tem início marcado para as 17h00 e poderá como habitualmente acompanhar em vídeo em direto no Contacto. 

Segundo uma curta nota do governo enviada esta manhã às redações, Kersch irá pronunciar-se sobre "a situação atual em matéria de desemprego parcial e as adaptações do código do trabalho neste período de crise". O ministro do Trabalho deverá também fazer um balanço sobre as restantes medidas adotadas pelo executivo para apoiar os trabalhadores. 


Trabalhadores em desemprego parcial vão receber no mínimo 2142 euros
Dan Kersch anunciou medidas complementares, como os novos procedimentos relativamente aos pedidos de desemprego temporário e disposições relativas às licenças parentais.

A conferência de imprensa será transmitida em direto no site do governo, com tradução simultânea para francês e para língua gestual. Recorde-se que o alargamento e simplificação do regime de desemprego parcial foi a grande aposta do governo para evitar despedimentos em plena crise pandémica. As estimativas apontam para que a medida custe cerca de 500 milhões de euros por mês aos cofres do Estado. Estima-se que mais de 73 mil trabalhadores estejam atualmente neste regime. Quase 7000 empresas foram obrigadas a encerrar temporariamente ou reduzir os seus horários. 

Outra das grandes alterações anunciadas pelo ministério de Dan Kersch diz respeito à decisão de autorizar semanas de trabalho de 60 horas nos setores considerados essenciais nesta fase da crise sanitária provocada pela covid-19.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas