Escolha as suas informações

Covid-19 é fator decisivo na mortalidade do Luxemburgo
Luxemburgo 07.06.2021

Covid-19 é fator decisivo na mortalidade do Luxemburgo

Covid-19 é fator decisivo na mortalidade do Luxemburgo

Lex Kleren
Luxemburgo 07.06.2021

Covid-19 é fator decisivo na mortalidade do Luxemburgo

Ana Patrícia CARDOSO
Ana Patrícia CARDOSO
Em 2020, a taxa de mortalidade no país chegou aos 7,3%, valor que não era alcançado há mais de uma década, afirma o Statec.

Nesta segunda-feira, o Statec divulgou um relatório em que considera a pandemia de covid-19 como a grande causa de morte no Grão-Ducado no ano passado. Este dado, em si, não é uma surpresa, mas os números são inéditos, uma vez que se registaram níveis de mortalidade que não se viam há mais de uma década.  A última vez que valores mais altos foram registrados foi em 2003 e 2006, quando ondas de calor extremas fizeram vítimas mortais entre os mais vulneráveis e idosos. 

De facto, a taxa de mortalidade foi de 7,3% em 2020, com um total de 4.609 óbitos registadas por todas as causas, 326 a mais do que em 2019. De acordo com a análise, a mortalidade foi 5,8% mais elevada do que o esperado. 

Em concreto, 438 "corresponde ao número de mortes oficialmente devidas à covid-19" durante o período estudado, sendo que a vitima morreu a 13 de março de 2020. Atualmente, a epidemia causou 818 mortes no Luxemburgo, segundo os últimos dados do Ministério da Saúde, dividindo entre 54% vítimas do sexo masculino e 46% vítimas do sexo feminino. 

Esperança média de vida 

Calculada anualmente, a esperança de vida à nascença é mais baixa em 2020 do que em 2019. Em 2020, a esperança de vida à nascença para as mulheres é de 85,3 anos e 80,1 anos para os homens. Em comparação com o ano anterior,  diminui em 0,3 anos para os homens e 0,7 anos para as mulheres. 

 O Statec estima que sem a crise pandémica, a esperança de vida à nascença teria aumentado entre 2019 e 2020 e que seria 86,1 anos, para as mulheres, e 80,8 anos para os homens. 



Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

O número de mortes no Luxemburgo aumentou 21,4% num ano, atingindo um recorde de óbitos em abril que não se verificava desde 1975. Segundo dados divulgados hoje pelo gabinete luxemburguês de estatísticas, Statec, este aumento deve-se às mortes associadas à covid-19.
Portugal registou, entre 16 de março e 14 de abril, um “excesso de mortalidade” que atingiu de “forma desproporcionada” pessoas com mais de 75 anos, tendo-se registado 1.255 óbitos acima do expectável. Parte dos óbitos por covid-19 terão passado sem diagnóstico por falta de diagnóstico laboratorial, dizem especialistas.