Escolha as suas informações

Covid-19. Doentes oncológicos cancelaram tratamento clínico por medo
Luxemburgo 25.08.2020

Covid-19. Doentes oncológicos cancelaram tratamento clínico por medo

Covid-19. Doentes oncológicos cancelaram tratamento clínico por medo

Foto: Lex Kleren
Luxemburgo 25.08.2020

Covid-19. Doentes oncológicos cancelaram tratamento clínico por medo

Manuela PEREIRA
Manuela PEREIRA
“Cerca de 20% dos tratamentos de quimioterapia, radioterapia e imunoterapia não foram realizados durante a primeira vaga da pandemia de covid-19, no Luxemburgo”.

A taxa de tratamentos oncológicos adiados é avançada pela ministra da Saúde, Paulette Lenert, na resposta à deputada cristã-social Françoise Hetto-Gaasch.

Lenert garante que os cancelamentos dos tratamentos oncológicos não se deveram a um colapso hospitalar, atribuindo-os a “dois fenómenos”. 

O primeiro prende-se com o “medo que alguns doentes sentiram face à covid-19, no início da pandemia. Medo que se foi dissipando com o tempo e que fez com os doentes com cancro voltassem a fazer os tratamentos clínicos”. 

A segunda explicação, relatada pela ministra da Saúde, tem que ver com o reagendamento de consultas nos hospitais devido às medidas de segurança relacionadas com a pandemia. 


Segunda vaga. Luxemburgo prepara mais camas e mais enfermeiros
Face a uma eventual explosão de infeções pelo novo coronavírus, o governo prevê aumentar o número de camas até 264 e quase 100 para os cuidados intensivos. O objetivo das autoridades de saúde é não chegar sequer a esta fase.

Nesse sentido, cerca de 80% das consultas foram realizadas à distância (teleconsultas) para minimizar o risco de pacientes com cancro se cruzarem com pacientes com covid-19.A boa notícia é que “nenhuma operação cirúrgica de pacientes oncológicos foi adiada nos quatro hospitais do país”, assegura ainda a governante.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

Rockhal e LuxExpo abrem portas à pandemia
Além da sala de espetáculos de Esch-sur-Alzette, a LuxExpo também vai reforçar a capacidade de resposta dos quatro hospitais luxemburgueses destacados para o combate ao novo coronavírus. As termas de Mondorf vão ser readaptadas tal como o Däichhal em Ettelbruck.
Imagem do exercício antiterrorista que se realizou hoje na Rockhal (Belval) em 2019