Escolha as suas informações

Covid-19. Semana de 7 a 13 de junho foi a melhor desde setembro de 2020
Luxemburgo 2 min. 16.06.2021
Covid-19

Covid-19. Semana de 7 a 13 de junho foi a melhor desde setembro de 2020

Covid-19

Covid-19. Semana de 7 a 13 de junho foi a melhor desde setembro de 2020

AFP
Luxemburgo 2 min. 16.06.2021
Covid-19

Covid-19. Semana de 7 a 13 de junho foi a melhor desde setembro de 2020

Números continuam a baixar em todos os registos mas a variante Delta (indiana) da doença subiu de 15% para 30%.

Na semana de 7 a 13 de junho, o número infetados continuou a baixar naquela que foi a 11ª semana consecutiva em queda. Com uma redução de 324 para 189 casos, a descida representou -41,6%, segundo as autoridades de saúde. 

O número de testes PCR realizados diminuiu ligeiramente de 47.273 para 45.745 e houve 230 novos casos identificados através de testes rápidos. A 13 de junho, o número de infeções ativas voltou a diminuir para 500 em comparação com as 677 a 6 de junho. 

Já o número de pessoas curadas aumentou de 68.761 para 69.127. A idade média das pessoas diagnosticadas como positivas para a covid-19 permanece estável nos 33 anos. 

A última semana foi também a primeira sem novas mortes desde a semana de 21 a 27 de setembro de 2020. São boas notícias que se refletem também na baixa nos internamentos hospitalares. Houve 12 novas admissões, menos três do que no período anterior, e o número de camas ocupadas nos cuidados intensivos com doentes de covid-19 diminuiu de 4 para 2, com uma idade média dos pacientes de 54 anos.

A taxa de reprodução efetiva (RT eff) diminuiu de 0,89 para 0,69, assim como a taxa de positividade em todos os testes realizados com 0,41% contra 0,69% na semana anterior. A mesma evolução pode ser observada para a taxa de positividade para testes realizados com receitas médicas, portanto para pessoas com sintomas, que passou de 1,91 para 1,19%. 

A taxa de incidência também continua claramente em tendência decrescente, com 30 casos por 100 mil habitantes durante 7 dias, em comparação com 51 casos por 100 mil habitantes para a semana de 31 de maio. Em comparação com a semana anterior, a taxa de incidência diminui de 40% a 60% no grupo etário 0-60 anos. Durante a última semana, houve seis casos com covid-19 no grupo etário dos mais de 75 anos, o que representa um ligeiro aumento do número de casos em relação à semana anterior. O grupo etário 15-29 anos é o que tem a maior taxa de incidência com 44 casos por 100 mil habitantes. 

Na semana em análise, 686 pessoas estiveram em isolamento (-18%) e 663 em quarentena (-16%). Para os 189 novos casos, o círculo familiar continua a ser o contexto mais frequente de transmissão de infeções com 45,5%, seguido por viagens ao estrangeiro (5,8%) e atividades de lazer (4,8%). A taxa de contaminações para as quais a fonte não é atribuível, diminui para 39,1%.

Ainda na mesma semana, foi administrado um total de 50.111 doses de vacinas. Foram 17.426 as pessoas que receberam uma 1ª dose e 32.685 uma 2ª dose, elevando o número total de vacinas administradas desde 15 de junho para 452.571. 

Relativamente às 324 amostras realizadas, a variante Alfa (britânica) representou 47,4% dos casos, em comparação com 66% na semana anterior. A variante Delta (indiana) representa já 30,9% dos casos, uma subida de mais de 15%. Não foram detetados novos casos da variante Beta (África do Sul), nem da variante Gama (brasileira). 

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas