Escolha as suas informações

Covid-19. Como vão funcionar os testes de rastreio nas escolas
Luxemburgo 2 min. 06.11.2020 Do nosso arquivo online

Covid-19. Como vão funcionar os testes de rastreio nas escolas

Covid-19. Como vão funcionar os testes de rastreio nas escolas

Foto: Anouk Antony/Luxemburger Wort
Luxemburgo 2 min. 06.11.2020 Do nosso arquivo online

Covid-19. Como vão funcionar os testes de rastreio nas escolas

Segundo o Ministério da Educação, várias equipas móveis estão a ser formadas e iniciarão as suas atividades durante a semana de 16 de novembro. Objetivo da medida é reduzir o tempo de espera na realização de testes sempre que surgir um caso numa turma.

O Ministério da Educação anunciou, esta sexta-feira, 6 de novembro, que vão ser feitos testes à covid-19 a alunos e profissionais do ensino, nas próprias escolas, com o objetivo de tornar o processo de rastreio mais rápido.

Para assegurar a receção atempada, a distribuição de encomendas de testes passará a ser tratada pelos serviços de Educação. 

As encomendas de testes serão entregues de duas formas: diretamente aos pais dos alunos ou aos alunos com idade superior à maioridade, por correio eletrónico, e  distribuídas aos alunos pelos professores, em formato impresso.


Escolas vão poder fazer testes de rastreio
A possibilidade de fazer testes de rastreio a alunos e profissionais de ensino, em meio escolar, estava a ser estudada pela Inspeção de Saúde e o Ministério da Educação.

Como explica o Ministério, em comunicado, o sistema escolar prevê, quando há um caso isolado numa sala de aula (cenário 1), ou seja, quando apenas um aluno ou professor de uma turma é testado positivo para a covid-19, o resto da turma pode continuar a frequentar a escola, ficando separada das outras turmas dentro do edifício da escola. Os alunos e o professor, ou professores dessa turma, são depois convidados a fazerem o teste no sexto dia após o último contacto com a primeira pessoa que deu positivo.

Agora, para o mesmo cenário haverá diferenças no processo. Com o objetivo de testar mais rapidamente os alunos e professores afetados por um caso isolado numa turma, equipas móveis de teste visitarão os edifícios da escola para fazer no local os testes aos estudantes e professores em questão. 

Segundo o Ministério da Educação, uma dúzia de equipas móveis está a ser formada e iniciará as suas atividades durante a semana de 16 de novembro. 

Cada equipa será composta por duas pessoas: o profissional de saúde, que recolherá amostras orais, e uma segunda pessoa, responsável pela gestão administrativa dos testes, que ficará encarregada de verificar se a prescrição médica corresponde ao número de registo nacional da pessoa a ser testada.


Escolas. Ministro admite atrasos na realização dos testes covid-19 aos alunos
O atraso no envio da ordem para o teste é uma das maiores preocupações, bem como o funcionamento das classes devido ao isolamento e quarentena de alunos e professores, admite Claude Meisch.

As amostras serão colhidas durante o horário escolar, pelo que não serão feitos testes durante o fim-de-semana.   

Autorizações e confidencialidade 

A realização dos testes em contexto escolar não é obrigatória. De acordo com o Ministério, aqueles que não quiserem aproveitar a possibilidade de fazer os estes nas unidades móveis das escolas mantém a possibilidade de ir a um laboratório ou centro realizar testes covid-19.

No que se refere a autorizações para os estudantes que façam os testes em estabelecimento escolar, será necessário o consentimento dos pais, no caso dos alunos menores. Para os alunos maiores de idade, bastará o seu próprio acordo.

Neste processo é igualmente assegurada a confidencialidade dos resultados, que continuarão a ser transmitidos exclusivamente à pessoa testada ou aos pais do aluno menor.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas