Escolha as suas informações

Covid-19. Bettel diz que fecho de fronteiras internas pode ser "irreparável para a UE"
Luxemburgo 2 min. 26.03.2020

Covid-19. Bettel diz que fecho de fronteiras internas pode ser "irreparável para a UE"

Covid-19. Bettel diz que fecho de fronteiras internas pode ser "irreparável para a UE"

Foto:Gerry Huberty
Luxemburgo 2 min. 26.03.2020

Covid-19. Bettel diz que fecho de fronteiras internas pode ser "irreparável para a UE"

Redação
Redação
As fronteiras internas da UE devem assegurar, pelo menos, o trânsito sem entraves dos trabalhadores transfronteiriços, afirmou o primeiro-ministro luxemburguês na reunião de líderes europeus que se realizou por videoconferência.

"O movimento transfronteiriço de trabalhadores e mercadorias é uma tábua de salvação para o Luxemburgo e muitos outros estados-membros. Quaisquer medidas introduzidas nas fronteiras internas da UE devem assegurar, pelo menos, o trânsito sem entraves dos trabalhadores fronteiriços, o repatriamento dos cidadãos, os fornecimentos médicos essenciais e os bens essenciais", argumentou o primeiro -ministro, Xavier Bettel. 


Xavier Bettel.
“Sem transfronteiriços não vamos conseguir” - Xavier Bettel
Xavier Bettel agradece a todos aqueles que estão a trabalhar para que o Luxemburgo continue a “funcionar”.

Recorde-se que 70% dos trabalhadores do sistema de saúde do Luxemburgo são transfronteiriços.

O chefe de Governo luxemburguês participou, esta quinta - feira, numa videoconferência dos chefes de Estado e de Governo da União Europeia, cuja agenda foi dedicada à luta contra a epidemia da COVID-19.  Xavier Bettel sublinhou que as medidas restritivas introduzidas em certas partes da UE "corriam o risco de ter um impacto grave - e talvez irreparável - no funcionamento da UE, do mercado único e do espaço Schengen".  

A videoconferência substituiu a tradicional reunião do Conselho Europeu em Março, que não pôde ser realizada devido à crise de saúde do Coronavírus. Os membros do Conselho Europeu trocaram opiniões sobre as formas de limitar a propagação do vírus, o fornecimento de equipamento médico, a promoção da investigação, bem como sobre as consequências socioeconómicas da crise. 

Durante o seu discurso, o primeiro-ministro Xavier Bettel pronunciou-se a favor de acções fortes de apoio à economia dos Estados Membros da União Europeia. Em particular, solicitou um instrumento comum de emissão de dívida: "Nenhum país deve ser deixado sozinho para lidar com as consequências da crise da Covid-19. Podemos e devemos fazer mais, especialmente como Estados-Membros desta União, e devemos mostrar colectivamente ambição e solidariedade para encontrar uma resposta coordenada". 


O primeiro-ministro, António Costa.
Covid-19. Portugal, Luxemburgo e mais sete países pedem emissão europeia de dívida
O primeiro-ministro António Costa e oito outros líderes europeus, entre os quais Xavier Bettel pelo Grão-Ducado, subscrevem uma carta hoje dirigida ao presidente do Conselho Europeu a reclamar a implementação de um instrumento europeu comum de emissão de dívida para enfrentar a crise provocada pela covid-19.

Recorde-se que Bettel tinha assinado uma carta, com outros oito líderes europeus  dirigida ao Presidente do Conselho Europeu.  

 Na carta enviada a Charles Michel na véspera deste Conselho Europeu, os chefes de Estado e de Governo de Luxemburgo, Portugal, França, Itália, Espanha, Bélgica, Irlanda, Grécia e Eslovénia defendem que, face à gravidade da situação, além das medidas já tomadas, é necessário avançar para “um instrumento comum de dívida, emitida por uma instituição europeia, para angariar fundos no mercado na mesma base e em benefício de todos os Estados-membros”.  


Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas