Escolha as suas informações

Covid-19. As novas regras das escolas no regresso às aulas desta segunda-feira
Luxemburgo 4 min. 03.05.2020

Covid-19. As novas regras das escolas no regresso às aulas desta segunda-feira

Covid-19. As novas regras das escolas no regresso às aulas desta segunda-feira

Luxemburgo 4 min. 03.05.2020

Covid-19. As novas regras das escolas no regresso às aulas desta segunda-feira

Paula SANTOS FERREIRA
Paula SANTOS FERREIRA
Este segunda-feira, os alunos dos anos finais voltam às aulas. Conheça as medidas de prevenção adotadas e as obrigações dos alunos. Quarta-feira a petição contra este regresso em maio vai ser debatida no parlamento.

Segunda-feira, dia 4 de maio, as escolas secundárias começam a reabrir as portas aos estudantes. Os primeiros a voltar a sentarem-se nas salas de aulas, já esta segunda-feira, são os alunos dos últimos anos do secundário. Até ao final do mês chegarão os restantes estudantes. Um regresso que se faz envolto em polémica com milhares de pais a manifestarem-se contra a reabertura das escolas, nesta fase da pandemia.

Aliás, dois dias depois, na próxima quarta-feira, dia 6, este será o tema de um debate entre o ministro da Educação e os deputados sobre a petição contra esta reabertura agora em maio, por causa do perigo de contágio, da autoria da portuguesa Lídia Garcias. O debate que é anunciado pelo Wort será transmitido em direito no site da Câmara dos Deputados.

A petição 1550, "A abertura de todas as escolas, escolas secundárias, creches, centros de dia e 'maison relais' apenas em setembro, para proteger todas as crianças", de Lídia Garcias, contava às 12h00, deste domingo, com 6550 assinaturas. A partir das 4500 os temas das petições são motivo de debate no parlamento. Clique aqui para ver a petição 1550. 

Uma outra petição mais antiga contra o regresso em maio, lançada num site não oficial, e que por isso, não pode ir a debate reúne um total de 17 345 assinaturas. 


Covid-19. Governo mantém reabertura das escolas mas 23700 pessoas são contra
Nas crianças com menos de 6 anos "devem ser os pais a decidir " o regresso à Escola, defende RNP. Ministro diz que "recomeço não pode ser deixado à escolha dos pais".

As medidas adotadas pelas escolas

Ao todo são cerca de 6500 os alunos que frequentam os últimos anos do secundário no Luxemburgo.

Este regresso, como de todos os alunos, visa, segundo o ministro da Educação “proporcionar a todas as crianças e jovens as melhores perspetivas possíveis para o futuro e proteger, na medida do possível, a saúde dos alunos e do pessoal docente e educativo”.

Aos alunos dos últimos anos, Claude Meisch pediu na semana passada que realizassem os testes de despistagem voluntários já à disposição. Também os professores e restantes funcionárias das escolas se deveriam voluntariar para os fazer. Assim, os que testassem positivo iriam continuar em casa, isolados.


“Pais é que devem decidir se filhos até seis anos regressam à escola em maio”
O presidente da Representação Nacional de Pais do Luxemburgo já apresentou esta medida ao ministro da Educação. Há uma nova petição contra a reabertura das escolas a decorrer no site oficial.

Idas alternadas às aulas

Outra das medidas de prevenção contra a covid-19 será a frequência alternada nas aulas, semanalmente. Cada turma é dividida em dois grupos, de modo a que uma metade vá à escola e a outra fique em casa a estudar. Na semana seguinte trocam.

"Os alunos de cada turma estão divididos em dois grupos, A e B. Os diretores das escolas secundárias estabelecerão um horário diferido para cada um dos dois grupos", anunciou o ministro Claude Meisch, a 16 de abril.

Uso obrigatório de máscara

Amanhã também estes alunos terão de sair de casa com uma máscara, que é de uso obrigatório para os que utilizarem os transportes públicos para chegar à escola, e no regresso.

A cada aluno, e também aos professores, o ministério da Educação irá entregar dois cachecóis-gola para proteger boca e nariz, que podem usar em vez das máscaras habituais. O cachecol-gola é um cachecol em forma de tubo, ou seja, sem extremidades.


Covid-19. 6000 estudantes vão ser testados para o regresso às aulas
O ministro da Educação apelou aos alunos a voluntariarem-se para os testes de despistagem que já decorrem. E também aos professores. Em prol da segurança sanitária nas escolas.

 “O seu uso é autorizado nas aulas e obrigatório nos transportes públicos”, como avisa o documento com informação sobre a reabertura escolar, no site do governo. Convém lembrar que quem não tiver máscara ou outra medida de proteção bucal nos transportes e locais públicos incorre numa multa de 149 euros.

Intervalos com horários difentes

As cantinas manter-se-ão encerradas para prevenir o contágio, e haverá novas regras no acesso aos corredores das escolas, bem como horários alternados para os intervalos das aulas, de modo a evitar contágios, explica o documento.

No percurso casa escola, as linhas do autocarro RGTR estarão preparadas amanhã para acolher os estudantes, e o tram voltará a circular a cada 10 minutos a 15 minutos. Contudo, o reforço das suas linhas só acontecerá a 11 de maio, altura em que deverão voltar à escola os restantes alunos do secundário. O serviço Adapto funcionará normalmente.


CFL retoma trabalhos nas vias ferroviárias a partir de segunda-feira
As obras serão gradualmente retomados, como parte do processo de desconfinamento e num momento em que o tráfego ferroviário se encontra reduzido.

A partir de 25 de maio, será a vez dos mais pequenos voltarem à escola, no ensino primário e nos serviços de assistência à infância, para que estes pais possam retomar suas atividades.

"Espero que em breve a escola possa se tornar novamente um local de vida, risos, encontros e trocas tão importantes para nossos filhos e jovens", declarou Claude Meisch, a 16 de abril, aquando do anúncio das novas medidas na reabertura dos estabelecimentos escolares.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas