Escolha as suas informações

Covid-19. As autoridades preocupadas com o contágio dos lusófonos no Luxemburgo
Luxemburgo 05.07.2020

Covid-19. As autoridades preocupadas com o contágio dos lusófonos no Luxemburgo

Covid-19. As autoridades preocupadas com o contágio dos lusófonos no Luxemburgo

Foto: Chris Karaba
Luxemburgo 05.07.2020

Covid-19. As autoridades preocupadas com o contágio dos lusófonos no Luxemburgo

Redação
Redação
Foi convocada uma conferência de imprensa para a próxima segunda-feira, com a presença da ministra da Saúde e os embaixadores de Portugal e de Cabo Verde para alertarem as comunidades para a necessidade de manterem práticas de distanciamento social.

O Governo do Luxemburgo está preocupado com o aumento de contágios do coronavírus nas comunidades lusófonas no Grão-Ducado. As autoridades atribuem esses focos, um pouco por todo o país, à realização de festas e de convívios, no período do desconfinamento, que não respeitam as normas de saúde, nomeadamente a necessidade de manter o distanciamento social. 

Os seriviços de saúde detetaram um aumento de infeções em pessoas das comunidades lusófonas, um pouco por todo o país, sobretudo em imigrantes mais recentes que não dominam as línguas do Grão-Ducado, nomeadamente o francês. 

O Contacto sabe que o embaixador de Portugal, António Gamito, foi contactado na passada sexta-feira pela ministra da Saúde, Paulette Lenert, no sentido de serem tomadas medidas de sensibilização aos portugueses, para evitar a disseminação da doença. No sábado, ficou estabelecida a realização de uma conferência de imprensa, na segunda-feira às 13.30, no Ministério da Sáude, em que falará a titular da pasta, o embaixador de Portugal e o embaixador de Cabo Verde no Grão-Ducado, Carlos Semedo.

O objetivo deste encontro com a comunicação social é conseguir chegar às comunidades lusófonas, "aparentemente na semana passada uma boa parte dos casos de infeção verificaram-se no seio das comunidades lusófonas e em particular junto de pessoas que dominam mal o francês e estão recentemente no país. Para conseguir que a mensagem chegue aos destinatários, para que se evitem práticas de risco, convocou-se esta conferência de imprensa", disse ao Contacto o embaixador de Portugal, António Gamito. 

O representante de Portugal lembra que não se pode esquecer que ainda não existe cura nem tratamento para a covid-19 e que por isso não se deve confundir desconfimanento com regresso à normalidade. "Vamos ter que saber viver com a doença tendo todos os cuidados: manter a distância social, usar máscaras e não andar em festas, como se o vírus não andasse ainda por aí". 

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

Quando os invisíveis se tornam visíveis
É verdade que o covid-19 não discrimina nacionalidades no seu contágio, mas é natural que a população de cultura lusófona, grande parte dela trabalhando em profissões fundamentais que não podem ser feitas no teletrabalho pague um preço elevado nesta pandemia.
Ministra da Saúde garante que o vírus no Luxemburgo não é um problema lusófono
António Gamito, Embaixador de Portugal no Grão-Ducado, a ministra da Saúde luxemburguesa, Paulette Lenert, e o embaixador de Cabo Verde no Grão-Ducado, Carlos Semedo, deram esta segunda-feira uma conferência de imprensa no Ministério da Sáude, direcionada para os lusófonos, na qual pediram aos membros da comunidade residente no país para continuarem a cumprir as medidas preconizadas no combate ao coronavírus.
Luxemburgo prepara eventual reabertura de centros covid-19
A Rádio Latina sabe que o Governo está a contactar profissionais de saúde para a eventualidade de ter que reabrir os centros de cuidados avançados. A informação foi confirmada esta tarde pela ministra da Saúde, Paulette Lenert, numa conferência de imprensa destinada aos órgãos de comunicação social lusófonos do país.
António Gamito, novo embaixador de Portugal: "Votar nas comunais já é um passo importante"
Recém-chegado ao Grão-Ducado, mas com muita experiência internacional, António Gamito não considera que o voto nas legislativas para os estrangeiros seja um tema do momento. Quanto à questão da indexação salarial para os funcionários, refere que vai “tentar resolver com Lisboa”. E, além da proximidade que pretende manter com a comunidade portuguesa, vem preparado para reforçar o relacionamento bilateral.