Escolha as suas informações

Covid-19. Alunos do Luxemburgo perderam uma semana de aulas em comparação com outros países
Luxemburgo 09.09.2020 Do nosso arquivo online

Covid-19. Alunos do Luxemburgo perderam uma semana de aulas em comparação com outros países

Covid-19. Alunos do Luxemburgo perderam uma semana de aulas em comparação com outros países

Foto: Guy Wolff
Luxemburgo 09.09.2020 Do nosso arquivo online

Covid-19. Alunos do Luxemburgo perderam uma semana de aulas em comparação com outros países

Susy MARTINS
Susy MARTINS
Os alunos que frequentam os estabelecimentos escolares no Luxemburgo perderam uma semana a mais de aulas em comparação com outros países da OCDE, revela o relatório sobre a educação publicado esta terça-feira.

Segundo o relatório "Education at a glance", a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE), conclui que, apesar dos muitos esforços que foram feitos no setor da educação durante a pandemia, o encerramento das escolas durante o confinamento aumentou as desigualdades entre os alunos.

No relatório pode ler-se mesmo que os estabelecimentos escolares no Luxemburgo perderam uma semana a mais de aulas em comparação com os restantes 36 países estudados pela OCDE. Apesar disto, a organização salienta, por outro lado, que o facto de as salas de aulas luxemburguesas terem menos alunos é um dado positivo que facilitou as medidas de distanciamento físico.

A organização alerta que a crise sanitária ligada à covid-19 poderá resultar num menor investimento no ensino por parte dos Governos, uma vez que tiveram de direcionar recursos financeiros para as economias e sistemas de saúde fragilizados. No entanto, a OCDE salienta que o Luxemburgo investe o dobro do dinheiro em cada aluno, em comparação com outros "países ricos". 


Escolas. Sindicatos queriam que governo tivesse ido mais longe
Apesar de acolherem o plano do Ministério da Educação para o regresso às aulas, há questões que continuam a preocupar as estruturas educativas.

Segundo os dados da OCDE, o Governo luxemburguês investe sobretudo nos alunos universitários, na comparação entre os diferentes níveis de ensino. Em 2017, o Grão-Ducado investiu mesmo cerca de 30.256 euros a mais por estudante do que a média dos países da OCDE. O país investiu, assim, 44.071 euros por estudante.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

Governo continua a dizer que o estudo da OCDE não reflete a realidade do sistema de ensino do país, mas reconhece os desafios. Mudar a via preparatória, aumentar a oferta linguística nas escolas e melhorar a orientação escolar são algumas das soluções que serão colocadas em marcha.
A OCDE adverte que o Grão-Ducado é dos países com um dos níveis mais elevados de abandono escolar no ensino secundário. Alunos estrangeiros têm dificuldades em lidar com o sistema de ensino trilingue luxemburguês, explica a OCDE ao Contacto.
Os alunos do ensino superior preferem cursos de gestão, administração de empresas e direito. De acordo com a OCDE, os professores são dos mais bem pagos e as turmas são mais pequenas.