Escolha as suas informações

Coronavírus. Luxemburgueses chumbam o governo
Luxemburgo 12.03.2020 Do nosso arquivo online

Coronavírus. Luxemburgueses chumbam o governo

Coronavírus. Luxemburgueses chumbam o governo

Wort
Luxemburgo 12.03.2020 Do nosso arquivo online

Coronavírus. Luxemburgueses chumbam o governo

Quase um em cada dois residentes no Luxemburgo desconfia da estratégia do governo para enfrentar o novo coronavírus.

O surto que a Organização Mundial de Saúde elevou ao grau de pandemia está a dividir opiniões no Luxemburgo. 49% da população acredita que o país não está preparado para reagir à propagação da infeção. Num universo de quase mil entrevistados, 59% admite estar preocupado com a evolução do quadro que obrigou Itália a fechar o país e mantém em isolamento algumas cidades chinesas. 

Quase metade da população, 48%, acha que o governo está a "esconder certas informações". Menos de um mês depois do Luxemburgo se ter tornado no primeiro país do mundo a assegurar os transportes públicos gratuitos, 54% dos inquiridos assume não andar confortável na rede de autocarros e comboios do país. 19% dizem-se mesmo "muito preocupados", com 30% a assumir que sair de casa para trabalhar diariamente já é sinónimo de ansiedade. 

Nota negativa

Numa altura em que Luxemburgo somava ainda menos casos de infeção do que os 19 confirmados esta quinta-feira, a ideia de ir a um museu ou a um cinema já inquietava 61% dos residentes no país. Não muito acima, 62% revelavam-se "preocupados" com a hipótese de se deslocarem a um espaço ou evento com uma grande aglomeração de pessoas e 21% "muito preocupados". 

As entrevistas foram realizadas, um dia antes do governo ter recomendado o adiamento ou cancelamento de eventos com mais de mil pessoas e ter alargado o horário das chamadas "Maisons Médicales" para reforçar o sistema de atendimento a eventuais infectados. Ainda assim, num sinal de desaprovação, apenas 30% dos inquiridos acreditavam que o executivo está "adoptar as medidas sanitárias necessárias para evitar a propagação da epidemia" e desses, apenas 13% consideravam que as autoridades luxemburguesas estão a agir rapidamente para evitar uma situação mais grave. 

Desde 29 de fevereiro que os ministros se têm desdobrado em conferências de imprensa e comunicados, mas 24% dos inquiridos chumbam a comunicação do governo. Ainda assim, 76% consideram-se "bem informados" sobre o assunto que tem dominado a agenda mundial. 



    


Notícias relacionadas