Escolha as suas informações

Contaminação com cianobactérias. Lagos de Haute Sûre e Weiswampach interditos a banhos
La pratique d’activités récréatives et sportives, notamment de plongée, peut donc reprendre.

Contaminação com cianobactérias. Lagos de Haute Sûre e Weiswampach interditos a banhos

Foto: Pierre Matgé
La pratique d’activités récréatives et sportives, notamment de plongée, peut donc reprendre.
Luxemburgo 4 31.07.2018

Contaminação com cianobactérias. Lagos de Haute Sûre e Weiswampach interditos a banhos

O lago de Weiswampach está desde hoje interdito a banhos, depois de as autoridades terem confirmado a "proliferação de cianobactérias", também conhecidas como "algas azuis". No lago de Haute Sûre, onde a presença destas toxinas foi confirmada na passada semana, o alerta de interdição a banhos continua a vigorar.

"Tendo em conta o aparecimento excecionalmente precoce de cianobactérias no lago Haute-Sûre, a vigilância nos lagos de Weiswampach e de Remerschen foi intensificada", refere em comunicado o departamento de Ambiente, do Ministério do Desenvolvimento e das Infraestruturas.

Dos três lagos, o de Remerschen, onde morreram um homem de 53 anos (este domingo) e o rapper de origem cabo-verdiana Puto G (30 de junho), é o único onde os banhos continuam a ser autorizados, já que "nenhuma proliferação de cianobactérias foi confirmada".

No lago de Weiswampach, no norte do país, as amostras recolhidas no local e analisadas pelo centro de pesquisa LIST confirmaram a presença de microcistina, uma espécie de cianobactérias que produz toxinas. "A proibição de banhos e qualquer atividade náutica é pronunciada com efeito imediato no lago Weiswampach", alertam as autoridades ambientais, que mantém a proibição também no lago Haute Sûre, a noroeste do país.

A presença desta bactéria é habitual, contudo e devido a certas condições, elas podem crescer excessivamente, dando uma tonalidade azul-esverdeada à água. Estas bactérias produzem toxinas que são prejudiciais para humanos e animais.

Os efeitos secundários dependem da quantidade de toxinas absorvidas, mas os mais habituais são:

  • irritação da pele;
  • dor de cabeça;
  • náuseas, gastroenterite, cólicas;
  • paralisia;
  • danos no fígado.

Não é conhecida a causa exata desta excessiva proliferação, mas muitas vezes resulta da temperatura mais elevada da água.