Escolha as suas informações

Construção. Portugueses 'furam' confinamento e regressam ao Luxemburgo
Luxemburgo 2 min. 22.04.2020 Do nosso arquivo online

Construção. Portugueses 'furam' confinamento e regressam ao Luxemburgo

Construção. Portugueses 'furam' confinamento e regressam ao Luxemburgo

Photo : Guy Wolff
Luxemburgo 2 min. 22.04.2020 Do nosso arquivo online

Construção. Portugueses 'furam' confinamento e regressam ao Luxemburgo

Redação
Redação
O diretor da Saúde declarou que há trabalhadores da construção civil que estiveram em Portugal e que agora voltaram ao Grão-Ducado para recomeçar a trabalhar, contrariando as medidas restritivas.

Quando o setor da construção civil foi encerrado houve trabalhadores portugueses que aproveitaram para viajar para Portugal, contrariando as medidas restritivas adotadas nesta epidemia, como conta a reportagem do Contacto hoje publicada. Agora regressaram ao Grão-Ducado para recomeçarem a trabalhar.

"Fomos efetivamente informados de que algumas pessoas regressaram de Portugal nos últimos dias, com vista à reabertura do sector da construção, onde os trabalhos foram retomados", confirmou também hoje à RTL  Jean-Claude Schmit, diretor da Saúde.  


Desconfinamento começa esta segunda-feira. Saiba o que muda a partir daqui
Os setores das obras e construção serão os primeiros a retomar atividade. Conheça as várias fases e as medidas de segurança a aplicar no dia a dia.

Contudo, este responsável considera o regresso destes portugueses vindos de fora do país, não terá qualquer impacto no número de casos de infeções no Grão-Ducado, nem aumentará os casos de internamento. Mas Schmit relembra que todas as viagens para o estrangeiro são desaconselhadas. Além de que o aeroporto está encerrado e as fronteiras fechadas. Até as portuguesas.

"Somos um país aberto, que nunca fechou as suas fronteiras. Agora já não podemos falar de áreas de risco. No início da epidemia, havia estas áreas e quando as pessoas regressavam delas, eram particularmente vigiadas ou mesmo colocadas em quarentena. Isso não pode ser aplicado agora. O vírus está em toda a Europa e provavelmente o risco não é muito maior em Portugal do que no Luxemburgo", frisou Jean-Claude Schmit à RTL. De acordo coma RTL, a Direção da Saúde e o Ministério dos Negócios Estrangeiros desconhecem o número exato destes imigrantes portugueses que viajaram de Portugal para o Grão-Ducado, nestes últimos dias.

O Embaixador de Portugal no Luxemburgo, António Gamito já tinha falado ao Contacto, na reportagem publicada esta quarta-feira sobre os imigrantes portugueses transfronteiriços (ver texto em baixo) que com o recomeço dos trabalhos na construção civil haveria portugueses a querer regressar ao Grão-Ducado.  “Depois dos aeroportos fecharem, organizámos inclusivamente repatriamentos. Agora vamos ter o problema ao contrário, que é haver muita gente que não consegue voltar.” 

Mas houve alguns que conseguiram e que já estão a trabalhar, depois de uma estada em Portugal e de uma viagem de regresso ao Grão-Ducado.


Covid-19. Na fronteira de França com o Luxemburgo a angústia é portuguesa
Há milhares de portugueses que trabalham no Luxemburgo com contratos temporários na construção civil - a maioria vive do lado francês da fronteira. Quando a pandemia chegou, centenas viram-se de um dia para o outro sem emprego nem qualquer tipo de apoio. Muitos furaram o confinamento e voltaram a Portugal. Esta é história dos que ficaram e tentam aguentar.

No setor da construção civil irão ser realizados testes numa amostra de trabalhadores e a situação será analisada mais de perto, admitiu este responsável.

A todos os trabalhadores que se sintam doentes o diretor da Saúde pediu que não fosse trabalhar e contactassem imediatamente um médico.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

A proposta é da repórter de imagem Dominique da Silva. A portuguesa, que nasceu no Luxemburgo, filmou as férias em Portugal dos imigrantes portugueses para uma série de reportagens que vão ser transmitidas na RTL. É a história da primeira geração, dividida entre Portugal e o Luxemburgo, e a dos seus filhos e netos. E é também a história da mulher por trás da câmara.
Dominique da Silva é a única mulher atrás das câmaras no Luxemburgo
Há mais emigrantes qualificados a chegar ao Grão-Ducado e já não vêm só das tradicionais regiões de partida, o interior norte e centro do país. Em contrapartida, a precariedade aumentou nos últimos anos e há muitos a viver situações difíceis, alertam os autores do estudo Remigr, que traça um retrato da nova vaga de imigração portuguesa no Luxemburgo.
Illustration - Vote des etrangers - Photo : Pierre Matge
O CONTACTO festeja este ano o seu 45° aniversário. O jornal foi fundado em Janeiro de 1970, para informar a comunidade portuguesa no Luxemburgo. Ao comemorarmos esta data, surgiu-nos uma questão natural. Em que ano exacto situar o início da emigração portuguesa para o Luxemburgo?
Em Junho de 1965 uma missa na catedral do Luxemburgo juntou meio milhar de portugueses para celebrar pela primeira vez o Dia de Portugal no Grão-Ducado.
Depois disso houve um almoço eu ma festa. Foi o primeiro evento organizado pela comunidade portuguesa no Grão-Ducado de que há registo
Há portugueses recrutados por empresas de construção em Portugal para trabalhar no Luxemburgo que acabam a ser explorados. Recebem salários muito abaixo do mínimo luxemburguês e trabalham domingos e feriados. Sem conhecerem o país nem a língua, são poucos os que apresentam queixa, diz o 
sindicato LCGB.