Escolha as suas informações

Construção. Federação "absolutamente contra" fim das férias coletivas
Luxemburgo 25.02.2019 Do nosso arquivo online

Construção. Federação "absolutamente contra" fim das férias coletivas

Construção. Federação "absolutamente contra" fim das férias coletivas

Foto: Shutterstock
Luxemburgo 25.02.2019 Do nosso arquivo online

Construção. Federação "absolutamente contra" fim das férias coletivas

Diana ALVES
Diana ALVES
Patrões defendem que a paragem obrigatória no verão é benéfica para trabalhadores e empregadores, contrariando assim, tal como as centrais sindicais, a opinião do ministro das Obras Públicas.

A Federação das Empresas de Construção e Engenharia Civil é “absolutamente contra” o fim das férias coletivas no setor da construção.

Depois de o ministro das Obras Públicas ter criticado o sistema e de ter sido lançada uma nova petição pública a pedir a abolição das férias coletivas no verão, o presidente da organização, Roland Kuhn, disse à Rádio Latina que o sistema atual deve ser mantido. Kuhn defende que a pausa de três semanas no verão é essencial para a gestão das empresas. 

O presidente Federação das Empresas de Construção e Engenharia Civil, que também é proprietário de uma empresa do ramo, defende que a pausa de três semanas no verão faz sentido, até porque, segundo diz, “não é assim tão fácil trabalhar debaixo de temperaturas elevadas”. Além disso, acrescenta que muitos trabalhadores preferem tirar férias durante o período de férias escolares. 

A saúde dos operários é outro dos argumentos apontados por Roland Kuhn. 

Questionado sobre o que pensam os trabalhadores, o empresário diz não ter conhecimento de casos em que os operários estão contra a pausa obrigatória em julho/agosto. Muito pelo contrário: assegura que até há trabalhadores que gostariam de ter quatro semanas de férias no verão em vez das atuais três. 


Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas