Escolha as suas informações

Conselhos práticos: Como proteger-se da picada da carraça
Pontas das calças dentro das meias é um dos conselhos práticos para a protecção contra a picada da carraça

Conselhos práticos: Como proteger-se da picada da carraça

Foto: Shutterstock
Pontas das calças dentro das meias é um dos conselhos práticos para a protecção contra a picada da carraça
Luxemburgo 2 min. 10.02.2016

Conselhos práticos: Como proteger-se da picada da carraça

A carraça vive em bosques e vegetação baixa (ervas altas, fetos, arbustos) à espera de um hospedeiro. Saiba como proteger-se e reagir à picada da carraça.

A carraça vive em bosques e vegetação baixa (ervas altas, fetos, arbustos) à espera de um hospedeiro. Grande parte dos casos de pessoas ou animais que são picados pela carraça ocorrem nas florestas, mas também pode acontecer em pradarias ou mesmo em espaços verdes em zonas urbanas.

Os carrapatos, como são também conhecidos, dão-se bem em ambientes de calor e humidade, por isso as infecções ocorrem principalmente a partir de Maio até Outubro. O que não significa que não ocorram durante o resto do ano.

PARA SE PROTEGER:

  • Cubra o corpo ao máximo, ponha os pés das calças dentro das meias, use calçado fechado e roupas leves e claras para ser mais fácil visualizar a carraça.
  • Utilize o ’spray’ repelente (com composto químico DEET ou com o insecticida Permetrina) sobre as partes não cobertas do corpo, quando estiver em áreas de risco.
  • Examine regularmente os seus animais domésticos e trate de eliminar as carraças encontradas.
  • Nas caminhadas, permaneça nos trilhos.
  • Ao regressar a casa, faça uma inspecção minuciosa no corpo inteiro, especialmente em áreas sensíveis, como os olhos, atrás da orelha, no couro cabeludo ou nas dobras (interior dos joelhos, cotovelos, axilas).

COMO REAGIR SE FOR PICADO

Antes de mais, convém lembrar que nem todas as carraças são portadoras da infecção (segundo o Luxembourg Institute of Health, apenas 16% das carraças estão infectadas), por isso é perfeitamente possível ser mordido sem contrair qualquer doença. No entanto, logo que veja uma carraça sobre a pele, deverá retirá-la o mais rapidamente possível, seguindo este método:

  • Segure a cabeça da carraça com uma pinça ou um “tira-carraças” (disponível nas farmácias).
  • Puxe-a devagar, o mais próximo possível da pele.
  • Não torça a carraça quando puxar com a pinça, para que não fique nenhum fragmento na pele.
  • Desinfecte a ferida com álcool e lave também a pinça e as mãos com álcool.
  • Não use outros truques para forçar a carraça a soltar-se, como deitar álcool, óleo ou encostar objectos quentes. O stress provocado na carraça pode fazer com que ela liberte substâncias e bactérias que podem aumentar o risco de infecção.
  • Consulte o seu médico em caso de dificuldade, caso note um vermelhão na área picada (frequentemente, a vermelhidão – eritema migratório – pode ser o primeiro sinal de doença de Lyme) ou se começar a ter sintomas semelhantes aos da gripe (febre, fadiga, dores no corpo).

Notícias relacionadas

Doença de Lyme tratada com pinças no Luxemburgo
A doença de Lyme é provocada por uma bactéria transmitida pela picada de uma carraça infectada. Os sintomas mais comuns são o cansaço e as dores corporais. Com o tempo, alguns doentes infectados podem passar para a fase crónica, com sintomas duradouros que podem deixar as pessoas debilitadas física e mentalmente. Saiba mais sobre esta doença.