Escolha as suas informações

Confirmado. Rendas das casas congeladas até ao final do ano
Luxemburgo 2 min. 24.06.2020

Confirmado. Rendas das casas congeladas até ao final do ano

Confirmado. Rendas das casas congeladas até ao final do ano

Foto: Anouk Antony
Luxemburgo 2 min. 24.06.2020

Confirmado. Rendas das casas congeladas até ao final do ano

Paula SANTOS FERREIRA
Paula SANTOS FERREIRA
Governo prolonga prazo de proibição de aumento de rendas. O Fundo de Habitação passou a receber 700 chamadas por dia de pedidos de subsídios, com esta crise, avançou ministro.

Os proprietários estão proibidos de aumentar o pagamento do inquilino até 31 de dezembro, devido à crise económica. O Governo decidiu prolongar este prazo até ao dia 31 de dezembro de 2020. A medida temporária insere-se no conjunto de adaptações às leis para fazer face à crise económica que a pandemia gerou no país.

Criada em março esta imposição de congelamento das rendas até ao final do ano terminava a 24 de junho, mas foi agora alargada, uma vez que a crise ainda reina no Grão-Ducado. Aliás, muitos especialistas defendem que a repressão económica vai ser profunda. O próprio primeiro-ministro Xavier Bettel e o Grão-Duque Henri falaram ontem do estado de crise que vive o país nos seus discursos na cerimónia da Festa Nacional. Ambos estão confiantes no futuro.


Luxemburgo. Nem a crise do coronavírus faz baixar o preço das casas
No Grão-Ducado e em Portugal, irá haver uma travagem no crescimento do custo das habitações, mas não uma descida dos valores, prevêem os especialistas. Ou seja, vão continuar altos.

A pandemia veio tornar ainda mais difícil para muitas famílias pagaram a renda de casa no Luxemburgo, já de si tão elevada.

700 pedidos subsídios por dia

O desemprego aumentou devido ao encerramento de muitas empresas, sobretudo nos setores mais afetados, como a restauração, ainda há que esteja em desemprego parcial, outros temem pelo futuro profissional. Mais empresas podem ainda ter de fechar se não conseguirem sobreviver. Por tudo, isto a renda de cada é um problema cada vez maior e mais difícil de assumir.

O Ministro da Habitação disse recentemente que o número de pedidos de subsídios ao Fundo de Habitação aumentou significativamente durante a crise. "Passamos a receber cerca de 700 chamadas por dia, em comparação com 300 em tempos normais", sublinhou Henri Kox.


Covid-19. Luxemburgo não suspende pagamento de rendas
O ministro da Habitação encoraja as pessoas a pedirem o subsídio de arrendamento.

Por isso, o Governo decidiu também em tempo de crise, criar uma lei que proíbe o aumento das rendas até ao final do ano, para prevenir ainda maiores dificuldades. Em 2018, a renda já representava 40% ou mais do orçamento familiar, no país, indicam estudos do Eurostat. Aliás, uma em cada 10 famílias do Grão-Ducado têm dificuldade em pagar o aluguer da sua casa, mostra este organismo.

Risco de pobreza

Outros números preocupantes: "18,3% dos proprietários e inquilinos enfrentam risco de pobreza", de acordo com um estudo do Observatório da Habitação do Luxemburgo. Isto porque as rendas aumentaram mais do que o salário médio no país. Perante este cenário assustador em que escasseiam as casas a preços acessíveis e cada vez há mais habitantes a mudarem-se para os países transfronteiriços, continuando, no entanto, a trabalhar no país, está na hora de reformar a lei do arrendamento. O que irá acontecer já este verão.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas