Escolha as suas informações

Conferência internacional: Investigadores discutem hoje imigração portuguesa no Luxemburgo
Luxemburgo 3 min. 10.02.2016 Do nosso arquivo online

Conferência internacional: Investigadores discutem hoje imigração portuguesa no Luxemburgo

O historiador luxemburguês Thierry Hinger é o coordenador da primeira conferência internacional sobre a imigração portuguesa no Luxemburgo

Conferência internacional: Investigadores discutem hoje imigração portuguesa no Luxemburgo

O historiador luxemburguês Thierry Hinger é o coordenador da primeira conferência internacional sobre a imigração portuguesa no Luxemburgo
Foto: Gerry Huberty
Luxemburgo 3 min. 10.02.2016 Do nosso arquivo online

Conferência internacional: Investigadores discutem hoje imigração portuguesa no Luxemburgo

Mais de uma dezena de investigadores vão estar reunidos esta sexta-feira no Grão-Ducado para discutir a imigração portuguesa no país, numa conferência internacional organizada pela Universidade do Luxemburgo, em colaboração com o Centro de Documentação sobre as Migrações Humanas.

Mais de uma dezena de investigadores vão estar reunidos no Grão-Ducado para discutir a imigração portuguesa no país, numa conferência internacional organizada pela Universidade do Luxemburgo, em colaboração com o Centro de Documentação sobre as Migrações Humanas (CDMH).

Durante dois dias, de 19 a 20 de Fevereiro, historiadores, sociólogos, geógrafos e investigadores na área das migrações vão participar na conferência "Luso-Luxemburguês?", a fim de trocar informação e experiências.

Para o coordenador da conferência, o historiador luxemburguês Thierry Hinger – a preparar actualmente um doutoramento sobre a política de emigração portuguesa após o 25 de Abril –, a iniciativa confirma o interesse crescente de académicos e investigadores pela imigração portuguesa no Luxemburgo.

"Há muitos investigadores a trabalhar nesta área na Universidade do Luxemburgo, mas também noutros países", disse o historiador ao CONTACTO. O objectivo "é pôr em contacto os investigadores que trabalham nesta área e iniciar uma discussão sobre a imigração portuguesa".

Esta é a primeira conferência internacional sobre o tema realizada no Luxemburgo, sublinha o coordenador, que espera também conseguir "mostrar ao público aquilo que se faz sobre a imigração portuguesa no país, a nível académico".

Do painel faz parte José Carlos Marques, investigador do Centro de Estudos Sociais e do Núcleo de Estudos das Migrações, em Coimbra, considerado um dos maiores especialistas internacionais em imigração.

"Temos a sorte de contar com José Carlos Marques para moderar os debates e apresentar as conclusões", disse ao CONTACTO o historiador luxemburguês.

As relações entre gerações de imigrantes, a terceira idade, a nova imigração portuguesa no Luxemburgo, um estudo comparativo entre a imigração portuguesa e italiana, o impacto da livre circulação europeia nos trabalhadores portugueses no Grão-Ducado, são alguns dos temas que vão ser discutidos na conferência internacional.

Além de especialistas da Universidade do Luxemburgo, como as investigadoras portuguesas Stéphanie Barros Coimbra, Heidi Martins e Anne Carolina Ramos ou a brasileira Anita Lucchesi, a conferência vai contar ainda com especialistas vindos da Universidade da Califórnia, da Universidade de Lisboa, de Ghent, na Bélgica, e da Universidade de Trento, em Itália.

A geógrafa luxemburguesa Aline Schiltz, a viver há vários anos entre o Luxemburgo e Lisboa, também vai apresentar as primeiras conclusões do estudo  Remigr, um inquérito global da Universidade de Lisboa sobre a emigração portuguesa recente, que analisa a nova vaga de emigração a partir de 2000.

O coordenador sublinha que a conferência "não se destina exclusivamente aos especialistas" e faz um apelo à participação dos portugueses.

A fechar os dois dias de discussões, os imigrantes portugueses vão ter a oportunidade de contar as suas experiências, numa iniciativa baptizada "Conte a sua história", aberta a todos os interessados.

"É um projecto em que as pessoas são convidadas a contar a sua história da emigração, na expectativa de recolher testemunhos orais que podem vir a ser integrados mais tarde no trabalho da Anita Lucchesi, que está a fazer uma recolha sobre a imigração portuguesa e italiana", adiantou o coordenador da conferência ao CONTACTO.

A iniciativa "Conte a sua história" vai ter lugar no dia 20 de Fevereiro (um sábado), das 16h30 às 18h, no Campus Belval da Universidade do Luxemburgo.

O programa da conferência, que arranca no dia 19 na Universidade do Luxemburgo, em Belval, e prossegue a 20, pode ser descarregado no portal do CDMH.

P.T.A.

* A localização da iniciativa "Conte a sua história" foi alterada já depois da publicação do artigo no Contacto. Para poder acolher mais pessoas, o encontro vai realizar-se na Universidade do Luxemburgo, no campus de Belval, e não em Dudelange, o local inicialmente indicado no programa.


Notícias relacionadas

A menina luxemburguesa que pediu para aprender português
Chama-se Maria e fala português desde menina, mas é luxemburguesa dos quatro costados. Maria Hoffmann aprendeu português em criança, em Larochette, nos anos 1970. A menina luxemburguesa pediu para frequentar um dos primeiros cursos de língua portuguesa organizados para imigrantes.
ITW Maria Hoffmann - Photo : Pierre Matgé
Conferência: Portugueses no Luxemburgo convidados a contar a sua história
A conferência “Luso-Luxemburguês?”, que decorre na Universidade do Luxemburgo, em Belval, e que é dedicada à emigração portuguesa no Luxemburgo, entra hoje no seu segundo e último dia. Os portugueses no Luxemburgo vão ter a oportunidade no sábado de contar as suas experiências, numa iniciativa baptizada “Conte a sua história”, aberta a todos os interessados.
“O Luxemburgo sofreu um processo de lusificação”, diz investigadora
A investigadora luxemburguesa Aline Schiltz estuda a emigração portuguesa para o Luxemburgo desde 2003. A viver entre Lisboa e o Grão-Ducado, a geógrafa, de 35 anos, é autora de vários estudos sobre os portugueses, incluindo uma tese de doutoramento em que analisa a mobilidade entre os dois países. Diz que o Luxemburgo se “lusificou” e que a emigração portuguesa levou à criação de um “espaço transnacional” que podia servir de modelo para uma Europa sem fronteiras.
Editorial: Que idade tem a comunidade portuguesa?
O CONTACTO festeja este ano o seu 45° aniversário. O jornal foi fundado em Janeiro de 1970, para informar a comunidade portuguesa no Luxemburgo. Ao comemorarmos esta data, surgiu-nos uma questão natural. Em que ano exacto situar o início da emigração portuguesa para o Luxemburgo?
Em Junho de 1965 uma missa na catedral do Luxemburgo juntou meio milhar de portugueses para celebrar pela primeira vez o Dia de Portugal no Grão-Ducado.
Depois disso houve um almoço eu ma festa. Foi o primeiro evento organizado pela comunidade portuguesa no Grão-Ducado de que há registo