Escolha as suas informações

Cinco novas petições públicas no site do Parlamento
Luxemburgo 13.06.2020

Cinco novas petições públicas no site do Parlamento

pétitions chambre des députés - Foto: Pierre Matgé/Luxemburger Wort

Cinco novas petições públicas no site do Parlamento

pétitions chambre des députés - Foto: Pierre Matgé/Luxemburger Wort
Foto: Pierre Matgé
Luxemburgo 13.06.2020

Cinco novas petições públicas no site do Parlamento

Redação
Redação
O site do Parlamento, www.chd.lu, tem cinco novas petições públicas prontas para serem assinadas.

O ambiente, os parques de estacionamento ou ainda os abusos por parte dos empregadores nos despedimentos são alguns dos temas abordados.

Uma das petições, avançada pelo lusodescendente Fábio Neves, reivindica que os parques de estacionamento sejam gratuitos na hora do almoço e também aos sábados durante todo o dia, até ao final do ano. O objetivo é relançar a economia e assim ajudar os comerciantes que foram fortemente prejudicados nesta crise pandémica. Segundo o peticionário, se os parques de estacionamento fossem gratuitos, havia mais pessoas nos centros das cidades de todo o país. 

Outro dos documentos apela à transparência dos empregadores em caso de despedimento. Segundo o responsável por esta petição, algumas empresas despedem os seus trabalhadores sem fundamento legal e dando explicações vagas. Para Jean Rodrigues é preciso evitar certos abusos dos patrões, preservando os direitos dos trabalhadores.

"Despejo de lixo na natureza deve ser punido” é o tema de outra das várias petições que pode ser assinada a partir de agora. Segundo o peticionário é preciso introduzir medidas de combate a esta prática tão prejudicial para a natureza, sendo a aplicação de multas [que poderiam ir até 250 euros por cada objeto abandonad], uma boa forma de dissuasão, segundo Jacques Glod.

Se as petições recolherem mais de 4.500 assinaturas até 23 de julho, será realizado um debate no Parlamento com os autores das petições, deputados e ministros responsáveis pelas pastas dos assuntos em questão.  

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas