Escolha as suas informações

Cidade do Luxemburgo fecha parques infantis
Luxemburgo 17.03.2020

Cidade do Luxemburgo fecha parques infantis

Cidade do Luxemburgo fecha parques infantis

Foto: Pixabay
Luxemburgo 17.03.2020

Cidade do Luxemburgo fecha parques infantis

Susy MARTINS
Susy MARTINS
Medida entra em vigor com efeito imediato.

A cidade do Luxemburgo decidiu fechar todos os parques infantis que se encontram no território. A medida entra em vigor com efeito imediato e só terminará quando houver ordem em contrário. 

 A autarquia da capital decidiu assim aplicar medidas de contenção mais drásticas do que as anunciadas pelo primeiro-ministro luxemburguês. Xavier Bettel referiu no domingo passaso que as saídas à rua com as crianças são permitidas desde que se respeite o distanciamento social de dois metros. Agora, a comuna da cidade do Luxemburgo prefere prevenir do que remediar e mandou encerra assim todos os parques infantis da cidade. O aumento para 140 casos de pessoas infetadas com Covid-19 no país, deverá ter contribuído para esta decisão cujo objetivo é conter a propagação do coronavírus Covid-19. 


Milão Vazia
Covid-19. Dentro da bolha: a vida nas cidades encerradas
Em Macau, Madrid e Milão, metrópoles onde foi já foi decretada total quarentena, as mudanças no quotidiano são profundas. Três jornalistas contam os problemas e as soluções que os habitantes das suas cidades encontraram para lidar com a pandemia.

O governo anunciou o encerramento obrigatório de restaurantes, bares , cafés , bibliotecas, ginásios, cinemas e instalações desportivas, a partir da meia-noite de domingo passado, 15 de março. Apenas os estabelecimentos essenciais à população estão abertos como supermercados, talhos, fornecedores, bancos e farmácias. O primeiro-ministro garantiu que existem "as reservas necessárias" para repor os bens essenciais nos supermercados. 


Fronteiras. Luxemburgo cria certificado para trabalhadores residentes em França
Com este documento os trabalhadores fronteiriços residentes em França ficarão isentos das restrições de passagem de fronteira entre a França e o Luxemburgo. 

Os estabelecimentos que não respeitem o encerramento obrigatório decretado serão mesmo sancionados. O país encontra-se praticamente parado com milhares de pessoas em regime de teletrabalho, incluindo os serviços da função pública que reduziram ao máximo as suas atividades presenciais. 

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas