Escolha as suas informações

Piscinas mais frias e edifícios às escuras. O plano da Cidade do Luxemburgo para o inverno
Luxemburgo 3 min. 21.09.2022
Crise energética

Piscinas mais frias e edifícios às escuras. O plano da Cidade do Luxemburgo para o inverno

A torre de água Ban de Gasperich já não vai ser iluminada, exceto em ocasiões especiais, para poupar energia.
Crise energética

Piscinas mais frias e edifícios às escuras. O plano da Cidade do Luxemburgo para o inverno

A torre de água Ban de Gasperich já não vai ser iluminada, exceto em ocasiões especiais, para poupar energia.
Foto: Guy Jallay
Luxemburgo 3 min. 21.09.2022
Crise energética

Piscinas mais frias e edifícios às escuras. O plano da Cidade do Luxemburgo para o inverno

Thomas BERTHOL
Thomas BERTHOL
Ruas e edifícios do município vão estar menos iluminados e luz será reduzida uma hora. De acordo com os cálculos, vai reduzir o consumo anual em 8%.

A Cidade do Luxemburgo está empenhada em "dar um bom exemplo". Na quarta-feira, a burgomestre Lydie Polfer assegurou que a capital fará os esforços necessários com o objetivo de reduzir o consumo de gás para 15%. "Levamos muito a sério", disse. 

Como é então o pacote de medidas de poupança da capital? Numa circular do início de agosto, o Ministério da Energia pediu aos municípios que não aquecessem os seus edifícios públicos acima dos 20º graus. Este será também o caso da capital, onde o termóstato vai descer um grau, dos 21º para os 20º graus. Esta diferença de temperatura irá poupar 6% de energia.


"Faço um apelo aos portugueses": recorram aos subsídios de energia
O ministro do Ambiente e Energia, Claude Turmes, apela aos portugueses que recorram aos apoios disponíveis como o subsídio de vida cara e o 'cheque energia'.

Teatros, museus e centros culturais vão seguir esta medida, com diferentes níveis de temperatura estabelecidos pelo ITM, diz Lydie Polfer. 

As piscinas também não são poupadas. A temperatura da água, atualmente entre 27,5°C e 29°C, será reduzida para entre 26,5°C e 27°C. A temperatura das piscinas rasantes (sobretudo, as das crianças) será reduzida de 31°C para 29°C. 

Menos luz pela cidade

Para além do gás, o plano da cidade visa alcançar 5% de poupança na eletricidade. Para tal, ruas e edifícios do município vão estar menos iluminados e luz será reduzida uma hora. De acordo com os cálculos, vai reduzir o consumo anual em 8%. A poupança de energia também se aplica à fortaleza, onde as luzes serão desligadas às 22h, em vez de uma da manhã. Esta medida corresponde a uma redução de aproximadamente 49% no consumo anual de energia. 

Vários edifícios não vão ser iluminados (exceto em ocasiões especiais), incluindo a torre de água Ban de Gasperich, os edifícios oficiais e a fachada do Estádio do Luxemburgo. 

O novo estádio de rugby e futebol está equipado com aquecimento de relva elétrico. Alex Goergen, chefe do departamento desportivo, explica o plano: "Vamos reduzir a utilização. Mas temos de ter o cuidado de não danificar a relva. É necessário um mínimo de aquecimento do relvado para o inverno. O nosso objetivo é garantir que ainda seja jogável em tempos de crise. Mas não podemos garantir a 100% que a qualidade será sempre superior." 

O Cercle City na Place d'Armes "ficará iluminado, porque está num lugar com muito trânsito e é melhor para a segurança", explicou Polfer. 

A capital corta no Natal 

As luzes de Natal só serão acesas durante seis horas por dia, contra 19 horas por dia nos anos anteriores. 

A edição do "Winterlights 2022" também não terá a mesma magia para os fãs do rinque de gelo, ausente da edição deste ano. "A pista de gelo era responsável por um terço do consumo de energia", justifica a burgomestre. 

 "Queremos dar um bom exemplo, mas esperamos que este esforço seja também feito por outros, porque o município com todos os seus edifícios é apenas responsável por 4,3% do consumo de energia da cidade. 

Esta é uma mensagem dirigida diretamente às empresas, instituições e residentes. "Temos a firme intenção de acompanhar os cidadãos e de não desapontar ninguém", insistiu o primeiro vereador Serge Wilmes.

Wilmes indicou que o conselho de vereadores vai reunir-se depois da tripartida  para discutir sobre uma extensão do subsídio de custo de vida e do bónus energético. Este bónus foi decidido pelo município no passado mês de março.


(Artigo original publicado na versão francesa do Luxemburger Wort)

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas