Escolha as suas informações

Chefes de diplomacia da UE discutem hoje ofensiva turca na Síria
Luxemburgo 14.10.2019 Do nosso arquivo online

Chefes de diplomacia da UE discutem hoje ofensiva turca na Síria

Chefes de diplomacia da UE discutem hoje ofensiva turca na Síria

Foto: Anas Alkharboutli/dpa
Luxemburgo 14.10.2019 Do nosso arquivo online

Chefes de diplomacia da UE discutem hoje ofensiva turca na Síria

Diana ALVES
Diana ALVES
Os ministros dos Negócios Estrangeiros da União Europeia reúnem-se hoje no Luxemburgo e um dos assuntos em cima da mesa é a ofensiva militar turca contra milícias curdas na Síria.

A sessão acontece dias antes de um Conselho Europeu no qual os 28 poderão decidir sanções.

A França, um dos países europeus que mais se insurgiu contra a intervenção militar turca no nordeste da Síria, já indicou na passada sexta-feira que a cimeira de chefes de Estado e de Governo da UE agendada para 17 e 18 deste mês, em Bruxelas, vai debater a possibilidade de sanções contra a Turquia, face à ofensiva de Ancara contra as forças curdas, aliadas do ‘Ocidente’ na luta contra os radicais islâmicos.

A ofensiva turca, de grande escala, tem como objetivo afastar do norte da Síria as milícias curdas YPG consideradas pela Turquia como “grupo terrorista”.

Na quinta-feira, o Presidente da Turquia ameaçou a União Europeia, afirmando que se Bruxelas classificar a operação militar como “invasão”, Ancara abre "as portas" aos refugiados sírios que se encontram no país, no que já foi classificado como uma “chantagem completamente despropositada” pelo presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk.

A reunião de hoje dos chefes de diplomacia da União Europeia arranca esta manhã, no Luxemburgo. O país está representado pelo ministro dos Negócios Estrangeiros, Jean Asselborn.

Com Lusa


Notícias relacionadas

Trump acha que os curdos são uma maior ameaça do que o Estado Islâmico
“O PKK, que faz parte dos curdos, como sabem, é provavelmente pior em termos de terrorismo e uma maior ameaça terrorista em muitos aspetos do que o [grupo ‘jihadista’ Estado Islâmico] EI”, declarou o Presidente norte-americano no decurso de uma conferência de imprensa conjunta na Casa Branca com o seu homólogo italiano Sergio Mattarella.