Escolha as suas informações

Cerca de 70% de cientistas ou engenheiros no Luxemburgo são homens
Luxemburgo 11.02.2020

Cerca de 70% de cientistas ou engenheiros no Luxemburgo são homens

Cerca de 70% de cientistas ou engenheiros no Luxemburgo são homens

Foto: Pierre Matgé
Luxemburgo 11.02.2020

Cerca de 70% de cientistas ou engenheiros no Luxemburgo são homens

Henrique DE BURGO
Henrique DE BURGO
O Luxemburgo é dos países com menos mulheres nas profissões científicas.

A maioria dos cientistas e engenheiros no Luxemburgo continua a ser homens. À margem do Dia Mundial das Mulheres nas Ciências, que é assinalado hoje, o gabinete europeu de estatísticas (Eurostat) publica um estudo que revela que apenas 31% das mulheres no Grão-Ducado ocupam cargos como cientistas ou engenheiras.

Foto: Chris Karaba

O Luxemburgo é o terceiro país da União Europeia com a taxa mais baixa de mulheres na área científica. Pior, só mesmo a Hungria (30%) e a Finlândia (29%).

A vizinha Alemanha sai também mal na fotografia, logo atrás do Luxemburgo, com 33% de mulheres a ocupar profissões científicas.

Pelo contrário, entre os 27 Estados-membros, há quatro países em que as mulheres são a maioria: Lituânia (57%), Bulgária (52%), Letónia (52%) e Dinamarca (51%).

Portugal é o único país onde cada género tem 50%.

Já na UE, entre as 15 milhões de pessoas que desempenham profissões científicas, 59% são homens, enquanto 41% são mulheres.


Notícias relacionadas

Trinta anos de Schengen e de Europa sem fronteiras
O Acordo Schengen, que aboliu algumas fronteiras internas na Europa, foi assinado há 30 anos, no Luxemburgo. Esta manhã foram muitas as personalidades do Grão-Ducado e da Europa que assinalaram a data na pequena localidade do Grão-Ducado.