Escolha as suas informações

Centro do Findel acolhe sem-abrigo indocumentados, mas só com temperaturas negativas

Centro do Findel acolhe sem-abrigo indocumentados, mas só com temperaturas negativas

Foto: Marc Wilwert
Luxemburgo 14.01.2019

Centro do Findel acolhe sem-abrigo indocumentados, mas só com temperaturas negativas

Susy TEIXEIRA MARTINS
Susy TEIXEIRA MARTINS
As pessoas sem-abrigo, em situação ilegal, podem pernoitar no centro de acolhimento do Findel mas só quando as temperaturas descem, pelo menos até 3 graus abaixo de zero.

Esta autorização foi esmiuçada, no último mês de dezembro, pela Comissão Consultiva dos Direitos do Homem, aquando da cerimónia do 70° aniversário da respetiva declaração universal.

O critério de admissão, que este organismo considera “pouco humanitário”, levou, mesmo, o deputado cristão-social, Marc Spautz a lançar uma pergunta parlamentar à Ministra da Família.

Contactado pela Rádio Latina, o presidente da Caritas Luxemburgo, Charel Schmit confirma este critério de admissão, argumentando que se trata de uma medida de prevenção destinada a proteger os outros utentes que frequentam o centro de acolhimento.

Os sem-abrigo que chegaram ao Luxemburgo recentemente e não estão legalizados só podem aceder ao centro de acolhimento, quando as temperaturas são negativas.

O critério dos 3 graus abaixo de zero não foi adotado, por unanimidade, pelos coordenadores da “operação inverno” no Findel. No entanto, o Ministério da Família é que tem a última palavra, como coordenador principal, acrescenta Charel Schmit.

O centro de acolhimento temporário está aberto, geralmente, entre 1 de dezembro e 31 de março, quando o frio aperta mais no exterior.