Escolha as suas informações

Centenas de pessoas protestam contra ataque a mesquita em Metz
Luxemburgo 07.05.2022
Islamofobia

Centenas de pessoas protestam contra ataque a mesquita em Metz

François Grosdidier, presidente da câmara de Metz, tinha apelado apelou a uma manifestação de apoio à comunidade muçulmana
Islamofobia

Centenas de pessoas protestam contra ataque a mesquita em Metz

François Grosdidier, presidente da câmara de Metz, tinha apelado apelou a uma manifestação de apoio à comunidade muçulmana
Foto: @MairiedeMetz / DR
Luxemburgo 07.05.2022
Islamofobia

Centenas de pessoas protestam contra ataque a mesquita em Metz

AFP
AFP
Cerca de 300 pessoas reuniram-se este sábado na capital da Moselle para repudiar a destruição causada por cocktails molotov que foram atirados contra o local de culto na noite de quinta-feira.

Foi aberto um inquérito, mas o procurador da República de Metz, Yves Badorc, disse à AFP que "nesta fase (...), não há nenhuma pista privilegiada".

"Condeno veementemente este ato de islamofobia", afirmou o presidente da câmara de Metz, François Grosdidier, no Twitter.

Segundo a prefeitura, cerca de 300 pessoas responderam ao seu apelo para "uma manifestação de apoio [à comunidade muçulmana]", marcada para este sábado às 12 horas na Place d'Armes entre a catedral e a câmara municipal.


Não sou “submissa ou menos inteligente” por usar véu
Derya Aydogan decidiu usar o véu islâmico com 17 anos, uma escolha pessoal que se tornou um fardo. Em outubro do ano passado, juntou-se à associação feminista “Lëtz Rise Up”, para lutar pelas pessoas que são vítimas de discriminação, seja racial, sexual ou religiosa.

Os manifestantes juntaram-se atrás de uma faixa onde estava escrito "Metz, cidade da tolerância", de acordo com imagens divulgadas em redes sociais.

"Esta é a primeira vez que temos um ataque a um local de culto em Metz (...) Nunca antes existiu este desejo de destruir. É um acontecimento extremamente grave", disse o governante na rádio France Bleu Lorraine Nord.

Os danos foram identificados na sexta-feira "por volta das 5h30 da manhã pelos fiéis que vieram à (sexta-feira) oração da manhã", disse à AFP Ridvan Kilinc, secretário da associação que gere o centro cultural e religioso que alberga a mesquita Merkez Camii, da federação DITIB, uma organização da comunidade turca.

Dois imãs vivem "por cima" do edifício religioso

O responsável revelou que foi apresentada uma queixa.

Três garrafas de cocktail molotov foram colocadas diante da fachada do edifício, mas apenas duas foram acesas, segundo o Ridvan Kilinc, que acrescentou que o centro "nunca" tinha sido objeto de um ataque.


Corinne Cahen, ministra da Família e da Integração.
"Temos que lutar contra todas as formas de racismo e discriminação"
Apostar na educação para a diversidade e na integração são as propostas do governo luxemburguês para acabar com a discriminação no acesso ao trabalho, habitação e escola. Em resposta ao inquérito sobre racismo, a ministra da Integração, Família e Grande Região diz que “ter consciência do problema” já é meio caminho andado. Mas “que ainda há muita coisa a fazer”.

As chamas escureceram ligeiramente algumas partes da frente do edifício. De acordo com o secretário, uma das garrafas foi colocada perto de um sistema elétrico com a intenção óbvia de a danificar.

O autor também terá tentado atirar um cocktail molotov parao interior da mesquita para incendiá-lo, mas falhou, afirmou Ridvan Killinc, sublinhando que os seus dois imãs "vivem por cima" do edifício religioso.

"Toda a gente está estupefacta", acrescentou, apelando à "união", a "palavra-chave da manifestação" deste sábado em Metz.

Em comunicado, o Conselho Regional do Culto Muçulmano (CRCM) da Lorena condenou vigorosamente este ato islamofóbico, e acrescentou: "Depositamos toda a nossa confiança nas autoridades policiais e judiciais para assegurar que os autores deste ato desprezível sejam encontrados e severamente punidos".

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.