Escolha as suas informações

Catalunha / Independência: Jean-Claude Juncker rejeita Catalunha independente
O luxemburguês Jean-Claude Juncker, Presidente da Comissão Europeia, esta sexta-feira na UNI.

Catalunha / Independência: Jean-Claude Juncker rejeita Catalunha independente

Foto: Guy Jallay
O luxemburguês Jean-Claude Juncker, Presidente da Comissão Europeia, esta sexta-feira na UNI.
Luxemburgo 13.10.2017

Catalunha / Independência: Jean-Claude Juncker rejeita Catalunha independente

O presidente da Comissão Europeia (CE), o luxemburguês Jean-Claude Juncker, voltou a reiterar que a União Europeia (EU) não apoia a independência catalã do Estado espanhol. Juncker não quer “arriscar” uma UE com “98 estados”.

O presidente da Comissão Europeia (CE), o luxemburguês Jean-Claude Juncker, voltou a reiterar que a União Europeia (EU) não apoia a independência catalã do Estado espanhol. Juncker não quer “arriscar” uma UE com “98 estados”.

Foto: Guy Jallay

“Não queria que dentro de 15 anos a UE fosse formada por 98 estados. É difícil com 28, não será mais fácil com 27, mas com 98 penso que seria impossível”, afirmou Jean-Claude Juncker, durante uma conferência na Universidade do Luxemburgo.

O líder do executivo de Bruxelas confessou que a CE já recebeu diversos pedidos para servir de mediadora entre Madrid e a Catalunha. Contudo, Juncker considera que a questão catalã é “um assunto interno” do Estado espanhol e apelou à “responsabilidade de todos os atores envolvidos.

Andreas Fickers e Jean-Claude Juncker.
Andreas Fickers e Jean-Claude Juncker.
Foto: LW

“Se a Comissão, o presidente Tusk e o Conselho Europeu fossem nessa direção, quando apenas uma das partes pede para que haja mediação, haveria sérias disrupções na UE“, explicou Juncker aos estudantes universitários.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba a nossa newsletter das 17h30.


Notícias relacionadas

Migrações: Luxemburgo vai receber 440 refugiados
O Luxemburgo vai receber 440 refugiados, segundo a recolocação de mais 120 mil pessoas por todos os estados membros anunciada hoje pelo presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, no Parlamento Europeu, em Estrasburgo.