Escolha as suas informações

Carlos Gonçalves (PSD): Fim do ensino de português em Esch é “desrespeito pela comunidade” portuguesa
Luxemburgo 2 min. 02.12.2016

Carlos Gonçalves (PSD): Fim do ensino de português em Esch é “desrespeito pela comunidade” portuguesa

O deputado do PSD Carlos Gonçalves

Carlos Gonçalves (PSD): Fim do ensino de português em Esch é “desrespeito pela comunidade” portuguesa

O deputado do PSD Carlos Gonçalves
Luxemburgo 2 min. 02.12.2016

Carlos Gonçalves (PSD): Fim do ensino de português em Esch é “desrespeito pela comunidade” portuguesa

O deputado PSD eleito pela Europa, Carlos Gonçalves, considera que o fim do ensino integrado de português nas escolas de Esch-sur-Alzette é um “desrespeito pela comunidade portuguesa” no Luxemburgo.

O deputado PSD eleito pela Europa, Carlos Gonçalves, considera que o fim do ensino integrado de português nas escolas de Esch-sur-Alzette é um “desrespeito pela comunidade portuguesa” no Luxemburgo.

“É uma situação que tem uma gravidade que põe em causa, não só, a consideração que as autoridades locais, muito particularmente a Câmara de Esch, têm em relação à vasta comunidade portuguesa que ali reside, mas também um acordo bilateral entre Portugal e Luxemburgo no que diz respeito ao ensino da língua portuguesa no Grão-Ducado”, disse Carlos Gonçalves, em declarações à RADIO LATINA.

Em visita ao Luxemburgo, o parlamentar social-democrata afirmou “não compreender” a decisão da autarquia de Esch, que vai afetar, já a partir do próximo ano letivo, 550 alunos dos cursos de português em regime integrado.

Indignado com a situação que “viola acordos bilaterais”, Carlos Gonçalves lançou um desafio e um “alerta” à comunidade portuguesa, neste período pré-campanha eleitoral para as eleições autárquicas 2017 no Luxemburgo.

“Normalmente neste período, as câmaras até gostam de tomar medidas positivas. O que eu entendo desta decisão é que o atual Executivo municipal de Esch não teme o voto dos portugueses que ali residem”, sublinhou Carlos Gonçalves, à estação de rádio.

“Portanto, é fundamental que esta decisão, que prejudica claramente a nossa comunidade, seja também, espero eu, um exemplo para que os portugueses no Luxemburgo possam utilizar a arma mais importante que têm, que é o direito de voto", observou.

Carlos Gonçalves apelou aos portugueses para fazerem o recenseamento eleitoral e assim ganharem mais peso político no Luxemburgo.

"Se os portugueses tivessem outros níveis de participação nas eleições locais em Esch, talvez este senhores do Conselho de Educação não teriam tido a coragem e o desplante de tomar esta decisão”, sublinhou o parlamentar.

O fim do ensino integrado de português, nas escolas de Esch-sur-Alzette, a partir do próximo ano lectivo, já foi notificado oficialmente à Embaixada de Portugal no Luxemburgo.

Numa carta enviada à Embaixada de Portugal no Luxemburgo, a autarquia de Esch invoca "o mau funcionamento dos cursos integrados de português" para justificar o encerramento.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba a nossa newsletter das 17h30.


Notícias relacionadas

Autarquia de Esch-sur-Alzette confirma fim dos cursos de português
A autarquia de Esch-sur-Alzette informou a Embaixada de Portugal no Luxemburgo que vai acabar com o ensino de português nas escolas daquela localidade a partir do próximo ano letivo, justificando o encerramento com "o mau funcionamento" dos cursos, disse o embaixador ao Contacto.
19.05.08 cours de portuguais, langue portugaise, contacto,  Schule, Schueler, bildung, photo: Marc Wilwert