Escolha as suas informações

Canábis recreativa vai ser legalizada daqui a dois anos
Luxemburgo 17.12.2019 Do nosso arquivo online

Canábis recreativa vai ser legalizada daqui a dois anos

Canábis recreativa vai ser legalizada daqui a dois anos

AFP
Luxemburgo 17.12.2019 Do nosso arquivo online

Canábis recreativa vai ser legalizada daqui a dois anos

Ana Patrícia CARDOSO
Ana Patrícia CARDOSO
Por enquanto, a lei atualmente em vigor autoriza apenas a prescrição médica de canábis a doentes oncológicos, com esclerose múltipla ou com dor crónica.

Este é o tempo necessário para que a canábis recreativa seja legalizada no Luxemburgo, avançou o governo em entrevista à rádio alemã Saarländischen Rundfunks. 

O Ministério da Saúde e da Justiça, que estão a trabalhar em conjunto projeto de lei, garantem que o mais importante será a prevenção e a educação. Para além disso, o governo anunciou também que vai apostar num rigoroso controlo de qualidade. 

Por enquanto, a lei atualmente em vigor autoriza apenas a prescrição médica de canábis a doentes oncológicos, com esclerose múltipla ou com dor crónica. 

Em maio passado, o Ministro da Saúde, Étienne Schneider (LSAP), e o antigo Ministro da Justiça, Félix Braz (Déi Gréng), viajaram até ao Canadá para aprenderem mais sobre as políticas governamentais nesta área. 

Canábis só para residentes 

O processo legislativo para a legalização da canábis começou em setembro. Na altura, Schneider garantiu ao Républican Lorrain que o Luxemburgo não seria uma "nova Amesterdão". 

Ao que tudo indica, a venda da cánabis a turistas e trabalhadores transfronteiriços estará proibida, vinca o ministro. "Só os residentes no Luxemburgo a poderão adquirir". 

Isto quer dizer que, no Grão-Ducado, a canábis só poderá ser "consumida em particular", em casa, estando "proibido o seu consumo na rua, ou nos bares e cafés".  


Notícias relacionadas