Escolha as suas informações

Bettel: "Tornar os abortos ilegais não é pró-vida. Matará as mulheres"
Luxemburgo 26.06.2022
Reação

Bettel: "Tornar os abortos ilegais não é pró-vida. Matará as mulheres"

Reação

Bettel: "Tornar os abortos ilegais não é pró-vida. Matará as mulheres"

Foto: Kenzo Tribouillard/AFP
Luxemburgo 26.06.2022
Reação

Bettel: "Tornar os abortos ilegais não é pró-vida. Matará as mulheres"

Redação
Redação
O primeiro-ministro do Luxemburgo reagiu no Twitter à decisão do Supremo Tribunal dos EUA e criticou fortemente a mesma.

"Tornar os abortos ilegais não é pró-vida. É anti-escolha. É anti-mulheres. Não salvará vidas. Matará as mulheres. É social e economicamente injusto. E assim, tão errado. Os direitos reprodutivos não são apenas os direitos das mulheres. São direitos humanos. Portanto, vamos defendê-los". 

O Primeiro-Ministro luxemburguês Xavier Bettel reagiu ao facto de, nos Estados Unidos, o  conservador Supremo Tribunal na sexta-feira ter anulado uma decisão que durante quase meio século garantiu o direito das mulheres americanas a abortar. 

Alguns estados anunciaram imediatamente que os abortos eram agora ilegais, enquanto outros disseram que iriam aprovar as suas próprias leis permitindo abortos. 


Milhares nas ruas dos Estados Unidos contra decisão antiaborto do Supremo
Os protestos foram particularmente significativos nas principais cidades norte-americanas, como Nova Iorque, onde milhares de pessoas se reuniram no Washington Square Park.

A decisão do tribunal levou milhares de pessoas em muitas grandes cidades a saírem à rua. 

Para além de Xavier Bettel, o ex-presidente norte-americano Barack Obama reagiu à decisão e exortou as pessoas a irem para as ruas.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

Os juízes da mais alta instância judicial norte-americana, atualmente com uma maioria conservadora, decidiram anular a decisão do processo “Roe vs. Wade”, que, desde 1973, protegia o direito das mulheres à interrupção da gravidez no país.