Escolha as suas informações

Bettel. "O Luxemburgo não tem êxito sem os transfronteiriços"
Luxemburgo 17.04.2021

Bettel. "O Luxemburgo não tem êxito sem os transfronteiriços"

Bettel. "O Luxemburgo não tem êxito sem os transfronteiriços"

Foto:Guy Jallay/Luxemburger Wort
Luxemburgo 17.04.2021

Bettel. "O Luxemburgo não tem êxito sem os transfronteiriços"

Ana Patrícia CARDOSO
Ana Patrícia CARDOSO
Na conferência de imprensa da passada sexta-feira, o primeiro-ministro fez ainda especial menção aos "médicos, enfermeiros e empregados de supermercado que atravessam a fronteira todos os dias" sem os quais "o Luxemburgo não seria capaz de gerir" esta crise pandémica.

O primeiro-ministro, Xavier Bettel, falou ao país na passada sexta-feira, 16, para anunciar o alargamento das restrições anti-covid até 15 de maio e falar da evolução do plano de vacinação, que está agora na sua fase 5. 

No entanto, o governante aproveitou a ocasião para salientar a importância das fronteiras abertas para a sobrevivência do trabalho transfronteiriço, reforçando que  "sem os trabalhadores fronteiriços, o Luxemburgo não teria êxito". 


Medidas anti-covid prolongadas até 15 de maio
As restrições para conter a pandemia vão manter-se em vigor no Luxemburgo até 15 de maio. Continua tudo como está. Assim decidiu hoje o Governo que se reuniu em Conselho de Ministros.

Dedicou ainda uma menção especial aos "médicos, enfermeiros e empregados de supermercado que atravessam a fronteira todos os dias" sem os quais "o Luxemburgo não seria capaz de gerir" esta crise pandémica, que poderá já ter atravessado a sua pior fase, mas ainda não acabou. 

Bettel reforçou uma posição do Governo que vem sido mantida desde o início da pandemia, de que "o Luxemburgo não vai fechar as suas fronteiras".

AstraZeneca no Luxemburgo

Na mesma conferência, Bettel respondeu às dúvidas que pairam sobre a utilização da vacina da AstraZeneca, depois de uma mulher de 70 anos ter morrido após ter tomado este fármaco. 


AstraZeneca voluntária para menores de 55 anos e obrigatória para segundas doses no Luxemburgo
A vacina contra a covid-19 da AstraZeneca vai continuar a ser utilizada no Luxemburgo, mas com algumas alterações.

O primeiro-ministro confirmou que a AstraZeneca vai continuar a ser utilizado no Luxemburgo, mas será reservada a maiores de 55 anos. No entanto, quem tiver entre 30 e 54 anos também pode tomar esta marca de vacina, mas terá que se declarar voluntário. Para quem tomou a primeira dose de AstraZeneca, vai manter a marca na segunda dose. 


Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

A toma da segunda dose da vacina anticovid pelo primeiro-ministro gerou interrogações. Isto, porque para quem já esteve infetado com o vírus a recomendação é de uma dose única. As explicações.