Escolha as suas informações

Bettel fala já esta quarta-feira sobre o roteiro do país até ao fim do ano
Luxemburgo 2 min. 08.12.2020

Bettel fala já esta quarta-feira sobre o roteiro do país até ao fim do ano

Bettel fala já esta quarta-feira sobre o roteiro do país até ao fim do ano

Photo : Gerry Huberty
Luxemburgo 2 min. 08.12.2020

Bettel fala já esta quarta-feira sobre o roteiro do país até ao fim do ano

O primeiro-ministro antecipou a conferência de imprensa sobre os planos do Governo sobre as restrições para tentar travar a propagação do novo coronavírus. Primeiro fala ao país, antes de apresentar os plano a Bruxelas.

Dois dias antes do previsto, Xavier Bettel decidiu antecipar o calendário e falar ao país já nesta quarta-feira para esclarecer os residentes sobre aquilo que os espera até ao final do ano, praticamente um mês depois da imposição do recolher obrigatório e do mais recente encerramentos da hotelaria e restauração. 

O primeiro-ministro é esperado no Parlamento Europeu em Bruxelas na sexta-feira 11 de dezembro. Antes fala ao Luxemburgo, depois de reunir o Conselho de  Ministros, também ele antecipado. Na prática, é de lá que sai a receita para as próximas semanas. Embora caiba ao líder do Executivo comunicar e gerir a estratégia, cada ministro conhece mais aprofundadamente os detalhes e os impactos da pandemia nas sua esfera de ação. 

De acordo com o Wort desta terça-feira, "não se tem a certeza" se as notícias que o primeiro-ministro "traz no saco", "serão boas", com o Luxemburgo a destacar-se na Europa como um dos países com a maior taxa de testes positivos em comparação com a população. Estagnada durante os meses de verão, a mortalidade praticamente duplicou no mês passado. Sinais, diz o jornal do Saint Paul, que "ainda demasiado cedo para relaxar a vigilância num país que já perdeu 360 cidadãos devido à epidemia". 

Contra a impaciência dos empresários, sobretudo os da restauração que viram as portas encerradas no fim de novembro, Xavier Bettel revelará se pretende ou não manter a restrição que impôs para impedir confraternizações e ajuntamentos, apesar da lotação dos espaços ter sido reduzida. 

Em cima da mesa também poderá estar a revisão do horário do recolher obrigatório durante o período das festas, à semelhança do que aconteceu em Portugal.  

Além do recolher obrigatório entre as 23h e as 6h, o Governo encerrou a restauração, assim como os teatros. O uso de máscara continua a ser obrigatório nos espaços fechados e nos espaços públicos. 

Com autorização para manter as portas abertas, os estabelecimentos comerciais viram-se obrigados a limitar o número de pessoas que podem estar ao mesmo tempo no interior das lojas. No plano quatro, os hospitais voltaram a virar as baterias para os doentes covid. 

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas