Escolha as suas informações

Bettel disponível para integrar futuro governo sem ser primeiro-ministro
Luxemburgo 11.09.2018

Bettel disponível para integrar futuro governo sem ser primeiro-ministro

Bettel disponível para integrar futuro governo sem ser primeiro-ministro

Foto: Rádio Latina
Luxemburgo 11.09.2018

Bettel disponível para integrar futuro governo sem ser primeiro-ministro

Numa entrevista concedida à Rádio Latina, que poderá ser escutada na integra no especial eleições emitido no dia 7 de outubro, o atual presidente do governo afirma que as condições para participar num futuro governo são ditadas por questões programáticas e que a questão da liderança do executivo não será um impedimento a uma coligação.

O primeiro-ministro (PM), Xavier Bettel, está disposto a renunciar ao cargo de líder do Governo numa futura coligação governamental. Foi o que o cabeça de lista nacional do Partido Democrático (DP) revelou hoje em entrevista à Rádio Latina, no âmbito das eleições legislativas de 14 de outubro.

Uma posição diferente da que manifestou em 2013, altura em que assumiu, também em entrevista à Rádio Latina, que só aceitaria integrar o Governo com a condição de ser primeiro-ministro.

Xavier Bettel quer continuar a ser chefe de Governo, mas, ao contrário do que afirmou em 2013 – ano das últimas legislativas –, desta vez está disponível a ceder a liderança do executivo a um futuro parceiro de coligação governamental.

O primeiro-ministro esteve esta terça-feira nos estúdios da Rádio Latina para uma grande entrevista que será difundida, na íntegra, a 7 de outubro, dia que dedicaremos às eleições legislativas com a transmissão de entrevistas aos cabeças de lista de todos os partidos que têm assento parlamentar.

Manuela Pereira


Notícias relacionadas

Negociações para o novo governo entram na reta final
Para quarta-feira, dia 14 de novembro, está então agendada uma nova ronda negocial com os líderes de cada partido para avaliar o trabalho que tem sido feito no seio dos diferentes grupos. Entretanto, numa declaração à RTL, o vice-primeiro-ministro e ministro da Economia ainda em funções, Étienne Schneider, sublinhou que esse trabalho deverá ficar concluído esta semana.