Escolha as suas informações

Autarquia de Esch-sur-Alzette confirma fim dos cursos de português
Luxemburgo 2 min. 02.12.2016

Autarquia de Esch-sur-Alzette confirma fim dos cursos de português

Autarquia de Esch-sur-Alzette confirma fim dos cursos de português

Foto: Marc Wilwert
Luxemburgo 2 min. 02.12.2016

Autarquia de Esch-sur-Alzette confirma fim dos cursos de português

A autarquia de Esch-sur-Alzette informou a Embaixada de Portugal no Luxemburgo que vai acabar com o ensino de português nas escolas daquela localidade a partir do próximo ano letivo, justificando o encerramento com "o mau funcionamento" dos cursos, disse o embaixador ao Contacto.

A autarquia de Esch-sur-Alzette informou a Embaixada de Portugal no Luxemburgo que vai acabar com o ensino de português nas escolas daquela localidade a partir do próximo ano letivo, justificando o encerramento com "o mau funcionamento" dos cursos, disse o embaixador ao Contacto.

"Recebemos uma comunicação do vereador da Educação de Esch, na semana passada, e na segunda-feira enviei uma carta à burgomestre", informou Carlos Pereira Marques ao Contacto.

Na carta enviada à Embaixada, a autarquia invoca "o mau funcionamento dos cursos integrados de português" para justificar o encerramento.

O embaixador esteve reunido ontem com o responsável do Sindicato dos Professores de Português no Estrangeiro (SPE), Carlos Pato, e com o ministro da Educação do Luxemburgo, Claude Meisch, para discutir o caso. "Estamos a acompanhar a situação com a atenção que ela merece", disse o embaixador ao Contacto.

O diplomata solicitou também um encontro com a burgomestre de Esch-sur-Alzette, Vera Spautz, e vai estar reunido com a autarca na próxima sexta-feira, dia 9 de dezembro.

Na semana passada, o gabinete do ministro da Educação disse a este jornal que não vai intervir junto da autarquia, alegando que a organização do ensino é uma competência que faz parte da autonomia comunal.

O Contacto tentou várias vezes ouvir o vereador da Educação de Esch e a responsável da Comissão Escolar, sem resultado.

A intenção de encerrar os cursos de português na segunda maior localidade do país tinha sido anunciada pelo responsável do SPE a 18 de novembro. Carlos Pato citava uma ata da Comissão Escolar de Esch-sur-Alzette, a que o Contacto teve acesso. Na ata, datada de 11 de novembro, determinava-se que “os COIP [Cursos Integrados de Português] serão abolidos a partir do regresso às aulas em 2017/2018” no ensino primário.

No documento, a comissão propõe no entanto prosseguir o ensino de português no pré-escolar, um projeto-piloto que arrancou no último ano letivo a título experimental, sustentando que “a valorização e desenvolvimento da língua materna facilitam a aprendizagem de outras línguas, no caso, do luxemburguês”. A continuidade do projeto-piloto, a funcionar numa dezena de escolas no país, depende no entanto de o docente “dominar a língua luxemburguesa”, pode ler-se na ata.


Notícias relacionadas

Ministro da Educação: "Há três anos que propomos às autoridades portuguesas que reorientem o português para o pré-escolar"
É a primeira vez que o ministro da Educação do Luxemburgo fala sobre o fim dos cursos integrados em Esch-sur-Alzette, e a mensagem é clara. O ministro quer que os cursos integrados no ensino primário sejam substituídos por intervenções apenas no pré-escolar. Uma proposta que se aplicaria a todo o país e que representaria o fim dos cursos integrados de língua e cultura portuguesa no ensino primário luxemburguês.