Escolha as suas informações

Atrasos nas reformas. Governo português aumenta equipas de resposta
Luxemburgo 04.02.2019 Do nosso arquivo online

Atrasos nas reformas. Governo português aumenta equipas de resposta

Ministro Vieira da Silva revelou no Parlamento medidas para aumentar a capacidade de resposta da Segurança Social.

Atrasos nas reformas. Governo português aumenta equipas de resposta

Ministro Vieira da Silva revelou no Parlamento medidas para aumentar a capacidade de resposta da Segurança Social.
Foto: Lusa
Luxemburgo 04.02.2019 Do nosso arquivo online

Atrasos nas reformas. Governo português aumenta equipas de resposta

Paulo Pisco, deputado socialista eleito pelo círculo da Europa que se reuniu sexta e sábado com os sindicatos no Luxemburgo, revela ainda, entre outras medidas, a visita ao Grão-Ducado de equipas da Segurança Social "dentro de uma semana", além da "criação de um polo do Centro Nacional de Pensões em Leiria, vocacionado para tratar dos casos internacionais".

O Governo português vai "aumentar as equipas de resposta" do Centro Nacional de Pensões dedicadas ao envio da documentação sobre as pensões dos portugueses no estrangeiro, além de "criar um polo daquela entidade em Leiria vocacionado para tratar dos casos internacionais". Além disso, é anunciada "para a próxima semana" a presença de equipas da Segurança Social que, trabalhando "em conjunto com os sues homólogos luxemburgueses", devem dar resposta "a muitos casos pendentes". A informação consta de um comunicado do deputado socialista Paulo Pisco, eleito pelo círculo da Europa, que visitou o Grão-Ducado na sexta e no sábado, reunindo-se com os sindicatos.

Pisco, que cita Vieira da Silva, ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, que anunciou estas medidas "na semana passada, durante a audição regimental na Assembleia da República", salienta "a criação de um novo polo do Centro Nacional de Pensões em Leiria, especificamente vocacionado para tratar dos casos internacionais associados aos processos de reforma dos portugueses residentes no estrangeiro" e "a criação de 20 equipas processadoras no Centro Nacional de Pensões para aumentar a capacidade de resolução dos processos".

Além disso, revela ainda "o lançamento do processo de digitalização micrográfica de forma a reconstituir integralmente os percursos contributos, e assim permitir que os processos sejam resolvidos mais rapidamente".

E admite que "seria da maior importância que os postos consulares no estrangeiro, que podem receber os pedidos dos períodos contributivos em Portugal e os enviam para a Segurança Social", dispusessem "de uma linha dedicada para contactar sem quaisquer obstáculos os serviços em Portugal".

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas