Escolha as suas informações

Asselborn. "Fechar fronteiras na UE não é eficaz no combate à pandemia"
Luxemburgo 2 min. 21.01.2021 Do nosso arquivo online

Asselborn. "Fechar fronteiras na UE não é eficaz no combate à pandemia"

Asselborn. "Fechar fronteiras na UE não é eficaz no combate à pandemia"

Foto: Anouk Antony/Luxemburger Wort
Luxemburgo 2 min. 21.01.2021 Do nosso arquivo online

Asselborn. "Fechar fronteiras na UE não é eficaz no combate à pandemia"

Ana Patrícia CARDOSO
Ana Patrícia CARDOSO
O ministro dos Negócios Estrangeiros, Jean Asselborn, afirmou que fechar fronteiras dentro da UE pode inclusive significar o "colapso do sistema de saúde do Luxemburgo".

Para Jean Asselborn, fechar agora as fronteiras está fora de questão. Isto porque não só "não é eficaz no combate à pandemia, como também é contra os tratados". A opinião surge no mesmo dia em que a cimeira da UE pretende encontrar soluções para a rápida expansão das novas variantes e para o descontrolo de novos casos e mortes em vários países.


UE pondera encerramento de fronteiras para impedir avanço de variantes do vírus
A cimeira que se realiza esta quinta-feira pretende encontrar soluções para a rápida expansão das novas variantes e para o descontrolo em vários países.

Em entrevista ao Deutschlandfunk esta quinta-feira, Asselborn defendeu que o encerramento das fronteiras pode, inclusive, significar o "colapso do sistema de saúde do Luxemburgo", uma vez que  "60% das pessoas que trabalham no setor médico são transfronteiriços e são porque queríamos que assim fosse na União Europeia, porque dissemos às pessoas que na União Europeia tu és livre em todos os países". 

A ideia teve, aliás, a recusa do primeiro-ministro, Xavier Bettel

Mas na conversa com a imprensa alemã, Asselborn vai mais longe colocando em causa a credibilidade da UE. "As pessoas não têm uma noção física das fronteiras e se estas se tornarem evidentes mais uma vez, como aconteceu na primavera do ano passado, isso terá consequências importantes para a credibilidade da União Europeia". Se "foi errado em 2020 é ainda mais errado em 2021 se fecharmos as fronteiras da UE", assumiu.

Asselborn fez questão de reiterar que a questão "não é o turismo. Acima de tudo, porque vivo numa região fronteiriça, estou preocupado com os trabalhadores transfronteiriços e com o pequeno tráfego fronteiriço". 

Certificado de vacinação

O ministro luxemburguês manifestou-se também recentemente contra a criação de um certificado europeu de vacinação. A opinião partilhada esta semana no Parlamento em resposta a uma pergunta do deputado Fernand Kartheiser (ADR).

O governante começou por lembrar que o Luxemburgo é contra a obrigatoriedade da toma da vacina, sendo que a campanha de vacinação está baseada no voluntariado. Mas acrescentou, no entanto, que quando toda a gente tiver acesso à vacina contra a covid-19, poderá voltar a ponderar o assunto. Antes disso está fora de questão.


     

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

A Associação Internacional de Transporte Aéreo pediu à União Europeia para apoiar a iniciativa do primeiro-ministro grego, Kyriakos Mitsotakis, que propôs um certificado europeu de vacinação contra a covid-19.