Escolha as suas informações

Arcebispo do Luxemburgo diz que "dançar é rezar três vezes"
Luxemburgo 11.06.2019

Arcebispo do Luxemburgo diz que "dançar é rezar três vezes"

Arcebispo do Luxemburgo diz que "dançar é rezar três vezes"

Foto: Volker Bingenheimer
Luxemburgo 11.06.2019

Arcebispo do Luxemburgo diz que "dançar é rezar três vezes"

Manuela PEREIRA
Manuela PEREIRA
Mais de dez mil pessoas participaram este ano na procissão dançante, esta terça-feira em Echternach.

Vieram dos quatro quantos do Luxemburgo, mas também da Alemanha, Bélgica, França e da Holanda para participarem na procissão em que a dança é a reza. Mais de dez mil pessoas participaram este ano na procissão dançante, em Echternach. Há nove anos que o evento é considerado Património Cultural e Imaterial da Humanidade, pela UNESCO. 

A manifestação não calhou em período de férias escolares de Pentecostes, mas nem por isso desmotivou os peregrinos que acorreram àquela cidade do Leste do país para homenagear o Santo Willibrord. O arcebispo do Luxemburgo, Jean-Claude Hollerich, presidiu à celebração religiosa e confiou à Rádio Latina que "dançar é rezar três vezes".

Echternach tem um pouco mais de 5.600 habitantes, dos quais dois mil são portugueses. O burgomestre Yves Wengler quer que haja cada vez mais lusos a participar no "maior evento da cidade".

Yves Wengler, participou na procissão dançante, tendo alinhado no último grupo da procissão. O grupo "39" era maioritariamente composto por membros do Colégio de Vereadores de Echternach. 

A ministra do Ambiente, Carole Dieschbourg, uma filha da terra, também participou no evento religioso. A governante foi uma das 10.243 participantes, ou seja, mais 1.330 do que na edição de 2018, segundo dados avançados à Rádio Latina pela organização.


Notícias relacionadas

Echternach: Oito mil dançaram à chuva
Cerca de oito mil pessoas participaram esta terça-feira de manhã na procissão dançante que anualmente se realiza em Echternach, no norte do Luxemburgo, em honra de São Willibrord.
Echternacher Springprozession - Photo : Pierre Matgé