Escolha as suas informações

Apartamentos antigos na cidade do Luxemburgo custam mais de meio milhão de euros
Luxemburgo 2 min. 11.10.2019

Apartamentos antigos na cidade do Luxemburgo custam mais de meio milhão de euros

A cidade do Luxemburgo é a comuna mais cara do país quando se trata de comprar casa.

Apartamentos antigos na cidade do Luxemburgo custam mais de meio milhão de euros

A cidade do Luxemburgo é a comuna mais cara do país quando se trata de comprar casa.
Foto: Tessy Hansen
Luxemburgo 2 min. 11.10.2019

Apartamentos antigos na cidade do Luxemburgo custam mais de meio milhão de euros

Diana ALVES
Diana ALVES
Henri Kox não terá tarefa fácil. No dia em que tomou posse o novo ministro da Habitação, o portal atHome.lu lembra, com base nos seus mais recentes dados, que os preços praticados no Luxemburgo voltaram a aumentar e que a subida é ainda mais significativa do que a verificada em março.

Em causa estão os preços médios de venda registados no mês de setembro, segundo os quais é preciso desembolsar mais de meio milhão de euros para comprar um apartamento antigo na cidade do Luxemburgo e mais de 800 mil euros para adquirir uma casa antiga.

Mais especificamente, um apartamento antigo na capital custa, em média, 527 757 euros, montante que sobe para os 859 280 euros se a opção for a compra de uma casa antiga.

A habitação está mais cara do que nunca e o novo aumento dos preços foi mais acentuado em setembro, segundo as contas do atHome.lu. O portal indica que a subida dos preços constatada no estudo de março já tinha sido bastante acentuada, mas aquela verificada agora é “ainda mais significativa”. “De facto, os preços médios progrediram fortemente nos últimos 12 meses”, com os dos apartamentos a subirem 14% e os das casas a avançarem 12%, segundo a plataforma.


Henri Kox (Déi Gréng) a prêté serment ce matin. Le voilà officiellement ministre du Logement.
Henri Kox é o novo ministro da Habitação
O Grão-Duque Henri deu hoje posse ao novo ministro da Habitação.

Henri Kox, que hoje se estreia no Governo, herda a pasta da Habitação, numa altura que a falta de habitações no Luxemburgo se faz sentir cada vez mais, fazendo disparar os preços imobiliários em todo o país. O metro quadrado de um apartamento antigo no Grão-Ducado custa, em média, cerca de 6 152 euros. Na capital, o valor aumenta para 9 562 euros.

As médias dos preços constatadas pelo portal no mês passado confirmam assim os números publicados pelo Instituto Nacional de Estatística (STATEC). As estatísticas do atHome.lu baseiam-se em mais de 18.300 anúncios publicados na plataforma entre outubro de 2018 e setembro deste ano.  

Habitação. Limpertsberg é o bairro mais caro da capital e Cents o mais barato

Sem surpresas a cidade do Luxemburgo é a comuna mais cara do país quando se trata de comprar casa.

Em média, o metro quadrado de um apartamento antigo ultrapassa os 9.500 euros e o de uma casa antiga supera os 8.000, mas há diferenças substanciais entre os diferentes bairros. Dados do portal atHome.lu, divulgados hoje, revelam qual o mais caro e qual o mais acessível.


Arrendar uma casa agora custa quase o dobro de uma renda antiga
Estudo analisou os contratos de arrendamento existentes durante vários anos e os novos anúncios e comparou os valores pedidos. “Há enormes diferenças” entre os dois.

Com 12 050 euros por metro quadrado, Limpertsberg surge como o bairro mais carro da capital. No outro extremo da lista está o de Cents, onde o metro quadrado custa 7 833 euros. Verifica-se assim uma diferença de quatro mil euros por metro quadrado entre o bairro mais caro e o mais barato.

As estatísticas do atHome.lu baseiam-se em mais de 18.300 anúncios publicados na plataforma entre outubro de 2018 e setembro deste ano.



Notícias relacionadas

Imobiliário: Preços da habitação subiram 6% em 2016
Os preços do imobiliário no Luxemburgo continuam a aumentar e, em 2016, o índice de preços à habitação subiu 6%, segundo dados do Instituto Nacional de Estatística (STATEC) e do Observatório da Habitação. O preço médio das casas no Luxemburgo rondou os 623 mil euros em 2016.