Escolha as suas informações

Mais de 220 queixas contra taxistas em nove meses
Luxemburgo 07.07.2017 Do nosso arquivo online
Após entrada da nova lei

Mais de 220 queixas contra taxistas em nove meses

Com a nova lei passou a ser obrigatório fixar as bandeiras no interior e no exterior dos táxis
Após entrada da nova lei

Mais de 220 queixas contra taxistas em nove meses

Com a nova lei passou a ser obrigatório fixar as bandeiras no interior e no exterior dos táxis
Foto: Paulo Dâmaso
Luxemburgo 07.07.2017 Do nosso arquivo online
Após entrada da nova lei

Mais de 220 queixas contra taxistas em nove meses

Desde que a nova lei dos táxis entrou em vigor, há nove meses, que foram registadas 222 queixas de clientes contra taxistas. Dessas, 42 estão relacionadas com os preços praticados - considerados demasiado elevados - e 24 devido ao comportamento dos taxistas.

Desde que a nova lei dos táxis entrou em vigor, há nove meses, que foram registadas 222 queixas de clientes contra taxistas. Dessas, 42 estão relacionadas com os preços praticados - considerados demasiado elevados - e 24 devido ao comportamento dos taxistas.

Os dados foram revelados pelo ministro das Infraestruturas, François Bausch, após uma análise a pedido do deputado do ADR Fernand Kartheiser.

O ministro da tutela afirmou numa curta nota de imprensa que a reforma está a ter, tal como “desejado”, repercussões positivas nas bandeiradas.

O preço indicativo mais baixo para um trajeto de 10 km passou para 22 euros e o mais alto para 34 euros. Antes da nova legislação a tarifa era de 35,60 euros.

O deputado Fernand Kartheiser diz ter tido conhecimento de “infrações à lei”, nomeadamente de taxistas que continuam a reivindicar o direito ao cliente porque estão no início da fila de táxis.

Sobre este aspeto, o ministro Bausch respondeu que poderá tratar-se de falta de informação sobre a legislação, uma vez que diz “que os taxistas devem participar a reuniões de informação, mas que são raros os que aparecem”.

Até ao final do mês de maio do ano corrente foram emitidas 622 licenças, mas apenas 400 candidatos é que se inscreveram nessas sessões. Desses somente compareceram 261.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

O mesmo percurso, à mesma hora, mas com preços diferentes. No Luxemburgo, uma viagem de táxi de dez quilómetros tem 20 tarifas diurnas diferentes, variando entre os 22,50 euros e os 45 euros. Uma situação que se deve à liberalização do mercado dos táxis.
A passagem das seis grandes zonas regionais dos táxis para apenas uma grande zona nacional parece ser agora o maior diferendo entre os taxistas e o ministro do Desenvolvimento Sustentável e Infraestruturas.
O ministro luxemburguês do Desenvolvimento Sustentável e das Infraestruturas, François Bausch, entregou hoje simbolicamente as primeiras 18 licenças de exploração de táxis com zero emissões, no Luxemburgo.
(de g. à dr.) Charles Geniets ; Émile Weber ; Vasco David ; Joao Fernandes ; Babtunde Otukoya ; Michel Pereira ; François Bausch, ministre du Développement durable et des Infrastructures ; Jean-Paul Maas ; Olivier Gallé ; Jean-Paul Gallé
A nova lei que rege o sector dos táxis no Luxemburgo entrou em vigor no dia 1 de Setembro. A mudança que mais polémica tem gerado entre os taxistas é a que determina que o cliente deixa de ser obrigado a apanhar o primeiro táxi da fila. Os profissionais do sector pedem ainda mais fiscalização no combate aos taxistas ilegais.
 “Os ´pescadores´ (taxistas ilegais) continuam aí e são cada vez mais. São concorrência desleal a quem paga impostos e acabam por roubar o Estado”, denuncia Aires Santos, da Taxis Morgado, em Esch-sur-Alzette