Escolha as suas informações

Antigo ministro do DP Henri Grethen foi vacinado antes do tempo
Luxemburgo 2 min. 09.03.2021 Do nosso arquivo online

Antigo ministro do DP Henri Grethen foi vacinado antes do tempo

Antigo ministro do DP Henri Grethen foi vacinado antes do tempo

Foto: Anouk Antony
Luxemburgo 2 min. 09.03.2021 Do nosso arquivo online

Antigo ministro do DP Henri Grethen foi vacinado antes do tempo

Susy MARTINS
Susy MARTINS
Caso semelhante de vacinação indevida nos Hospitais Robert Schuman também veio recentemente a público.

O presidente do grupo "Hospices civils de la ville de Luxembourg" (que gere lares de idosos e estruturas para deficientes) e antigo ministro do DP, Henri Grethen, foi vacinado antes do tempo. O antigo ministro recebeu a vacina contra a covid-19 no mês de fevereiro durante a primeira fase direcionada aos profissionais de saúde.

A informação é avançada esta terça-feira pela rádio estatal 100,7 e confirmada pelo próprio Henri Grethen, que explica esta decisão pelo facto de estar regularmente presente em várias estruturas que prestam cuidados a pessoas idosas ou com deficiência. A vacinação ocorreu mesmo após saber-se que os conselhos de administração não seriam incluídos na primeira fase da campanha nacional de vacinação. Mas foram as próprias autoridades que aprovaram previamente o nome de Grethen. 

O antigo ministro do DP foi vacinado a 17 de fevereiro pela equipa móvel que se desloca aos lares, sendo que a lista das pessoas que iriam ser vacinadas foi enviada com antecedência à Direção da Saúde, que tem de aprovar os nomes da lista. O que significa que as autoridades de saúde não se opuseram ao nome de Henri Grethen.   

A direção dos "Hospices civils de la ville de Luxembourg" já saiu em defesa de Henri Grethen, sublinhando que o diretor "entra e sai dos estabelecimentos para assinar documentos, e que, por isso, faz parte do pessoal da estrutura". No entanto, as indicações do Ministério da Saúde são claras: a primeira etapa do plano vacinação não se destinou aos membros dos conselhos de administração, limitando-se apenas aos profissionais de saúde que trabalham no terreno. 

De fora ficaram também os serviços externos, como as limpezas, restauração e seguranças. A rádio 100,7 pediu mais informações sobre o caso ao Ministério da Saúde, mas até à data não obteve resposta. 


Novas informações lançam dúvidas sobre vacinação de responsáveis dos Hospitais Robert Schuman
Revelações recentes da Federação Hospitalar Luxemburguesa (FHL) põem em causa as declarações dos responsáveis de que não havia uma orientação clara sobre quem vacinar nos centros hospitalares.

Numa caso semelhante, o presidente e os dois vice-presidentes do Conselho de Administração dos Hospitais Robert Schuman (HRS) foram vacinados no início da primeira fase da campanha de vacinação, a 15 de janeiro, apesar de o Ministério da Saúde ter dado a indicação de que os membros dos conselhos de administração só deveriam ser vacinados no final da segunda fase, a menos que estivessem no ativo.  Poucos dias depois soube-se também que o Hospital do Norte apresentou uma queixa por irregularidades na vacinação

O Luxemburgo encontra-se atualmente na segunda fase do plano de vacinação contra a covid-19, direcionada a pessoas com mais de 75 anos e as consideradas extremamente vulneráveis independentemente da idade. No total haverá seis fases

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas