Escolha as suas informações

António Costa no 10 de Junho no Luxemburgo: Portugueses esperavam que PR tivesse sido "menos o eco do Governo"
Luxemburgo 2 min. 10.06.2015 Do nosso arquivo online

António Costa no 10 de Junho no Luxemburgo: Portugueses esperavam que PR tivesse sido "menos o eco do Governo"

António Costa

António Costa no 10 de Junho no Luxemburgo: Portugueses esperavam que PR tivesse sido "menos o eco do Governo"

António Costa
LUSA
Luxemburgo 2 min. 10.06.2015 Do nosso arquivo online

António Costa no 10 de Junho no Luxemburgo: Portugueses esperavam que PR tivesse sido "menos o eco do Governo"

O secretário-geral do PS, António Costa, disse hoje, no Luxemburgo, que os portugueses esperavam que o Presidente da República tivesse sido o “seu porta-voz” e “menos o eco do Governo”.

O secretário-geral do PS, António Costa, disse hoje, no Luxemburgo, que os portugueses esperavam que o Presidente da República tivesse sido o “seu porta-voz” e “menos o eco do Governo”. 

 “Os portugueses esperavam que Cavaco Silva tivesse sido o seu porta-voz e menos o eco do Governo”, afirmou António Costa, em declarações aos jornalistas à entrada para a recepção da cerimónia que assinala o 10 de Junho no Luxemburgo. 

 Para o secretário-geral do PS, “o Presidente da República, pela cobertura que tem dado a este Governo, tem contribuído para o desânimo e para a descrença”, pelo que, argumentou, a alternativa do PS “vai contribuir para virar a página”. 

“O senhor Presidente da República pode estar tranquilo porque, conforme nos vamos aproximando das eleições, o desânimo e pessimismo vão dando lugar à confiança que os portugueses têm de que há uma alternativa que lhes vai permitir virar a página da austeridade, relançar a economia e criar emprego”, afirmou. 

António Costa disse ainda estar “certo” de que vai “herdar uma situação muito difícil, uma dívida muito pesada, tal como aconteceu em [Câmara Municipal] Lisboa”. 

A este propósito, defendeu que, tal como aconteceu na autarquia, saberá “resolver a situação das finanças públicas sem sacrificar os direitos dos portugueses e a economia”. 

Apesar das críticas a Cavaco Silva, o secretário-geral do PS considerou positiva a homenagem póstuma ao antigo ministro da Ciência Mariano Gago e disse que o Presidente da República “fez uma análise justa ao esforço do professor Teixeira dos Santos da gestão que fez das finanças públicas num momento tão crítico da economia mundial”.

Na sessão solene do 10 de Junho, que decorreu hoje em Lamego, Viseu, o Presidente da República condecorou hoje mais de 40 personalidades por ocasião do 10 de Junho, entre as quais o ex-ministro das Finanças Teixeira dos Santos e, a título póstumo, o antigo ministro da Ciência Mariano Gago. 

Fernando Teixeira dos Santos, que tutelou a pasta das Finanças entre 2005 e 2011, nos governos socialistas de José Sócrates, foi condecorado com a Grã-Cruz da Ordem Militar de Cristo. 

O antigo ministro da Ciência Mariano Gago, que morreu em Abril deste ano e desempenhou funções nos governos socialistas de António Guterres e José Sócrates, foi agraciado, a título póstumo, com igual distinção. A condecoração foi entregue à viúva de Mariano Gago, Karin Wall Gago. 

 António Costa iniciou hoje uma visita ao Luxemburgo, onde assinala o 10 de Junho numa cerimónia na residência do embaixador de Portugal naquele país, tendo ainda esta noite um jantar com emigrantes em Esch-sur-Alzette. 


Notícias relacionadas

PS critica ausência de Cavaco Silva do 5 de Outubro
O líder parlamentar do PS considerou hoje uma "vergonha" a ausência do Presidente da República nas cerimónias comemorativas do 5 de Outubro e advertiu que Cavaco Silva, goste ou não, terá de empossar um Governo socialista.
Cavaco Silva