Escolha as suas informações

Alunos já podem encomendar manuais gratuitos
Luxemburgo 2 min. 05.08.2018 Do nosso arquivo online

Alunos já podem encomendar manuais gratuitos

A aplicação myBooks encontra-se a funcionar desde dia 23 de julho

Alunos já podem encomendar manuais gratuitos

A aplicação myBooks encontra-se a funcionar desde dia 23 de julho
Foto: Guy Jallay
Luxemburgo 2 min. 05.08.2018 Do nosso arquivo online

Alunos já podem encomendar manuais gratuitos

Os alunos do ensino secundário no Luxemburgo, que a partir do ano letivo 2018/19 passam a ter direito a manuais escolares gratuitos, já podem requisitar os mesmos.

A aplicação e a página myBooks, também disponível em português, encontra-se em funcionamento desde dia 23 de julho. Aos encarregados de educação basta fazer o registo de acesso seguro e selecionar os manuais obrigatórios, de acordo com o liceu e o ano escolar, e levantar os mesmos, mediante a apresentação do comprovativo de encomenda numa das nove livrarias parceiras.

Até agora apenas os alunos do primeiro ciclo luxemburguês tinham direito aos manuais escolares obrigatórios gratuitos, mas em outubro do ano passado, o apoio foi alargado a todos os alunos do ensino secundário e técnico-profissional, do sistema de educação público, das escolas internacionais e dos liceus privados com programa curricular do ensino público, como a Escola Internacional de Differdange e de Esch-sur-Alzette.

Esta nova medida permite uma poupança anual até 450 euros por aluno.

Com dois filhos no liceu, Maria A. (nome fictício) diz-se grata com o apoio. "Até agora só precisava de comprar os livros de um deles, mas este ano o mais novo também vai para o liceu e só soube da oferta quando o folheto chegou a casa", disse ao Contacto. "Mesmo recebendo o subsídio escolar no início do ano letivo, ia ser duro gastar cerca de 900 euros só em livros, porque recebo o salário mínimo e sou sozinha", concluiu. Ao valor dos livros ainda acresce os gastos com o material escolar dos alunos que varia consoante os professores e o ano a frequentar.

Questionada sobre a possibilidade de reutilizar os livros - um hábito que o Ministério da Educação quer implantar nos alunos - a encarregada de educação diz que vai tentar que os filhos deem um uso correto e duradouro aos manuais. "Já é hábitos, eles usarem o material de um ano para o outro, podem também ter livros já usados, se estiverem em bom estado", assegurou.

Outra das medidas prende-se mesmo com a reutilização dos livros. Segundo a tutela, se os alunos recorrerem a manuais usados recebem um vale de compras, a ser utilizado em material escolar, no valor de 50% de cada livro.

De salientar que a gratuitidade dos manuais não interfere com os subsídios disponibilizados no início de cada ano letivo.

Neste ano letivo, o apoio vai custar 14,5 milhões de euros.

Foi criada uma linha telefónica de apoio ( 247-85999) e um email (helpdesk@cgie.l) para dúvidas sobre o acesso  aplicação. A partir de 3 de setembro, as escolas também vão fornecer informação extra sobre o processo.


Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

O ano letivo de 2019/2020 começa a partir de 16 de setembro. No entanto, os alunos têm datas diferentes de regresso à escola.
Os alunos do ensino secundário no Luxemburgo, que a partir do ano letivo 2018/19 passam a ter direito a manuais escolares gratuitos, vão poder ficar com os livros no final do ano escolar não tendo que os devolver, revelou esta terça-feira (14), o ministro da Educação, Claude Meisch.
Até ao final da semana, 137.758 alunos regressam às aulas no Luxemburgo, dos quais 48.176 ingressam esta quinta-feira, 15 de Setembro, no ensino fundamental, de acordo com os números divulgados esta terça-feira pelo Ministério da Educação Nacional.
As escolas públicas abrem as portas esta quinta-feira