Escolha as suas informações

Altos responsáveis dos Hospitais Robert Schuman foram vacinados indevidamente
Luxemburgo 2 min. 16.02.2021

Altos responsáveis dos Hospitais Robert Schuman foram vacinados indevidamente

Altos responsáveis dos Hospitais Robert Schuman foram vacinados indevidamente

Foto: Chris Karaba/Luxemburger Wort
Luxemburgo 2 min. 16.02.2021

Altos responsáveis dos Hospitais Robert Schuman foram vacinados indevidamente

Susy MARTINS
Susy MARTINS
Os Hospitais Robert Schuman reagiram entretanto e dizem que houve um erro de comunicação da parte do Ministério da Saúde no arranque da campanha de vacinação contra a covid-19.

O presidente e os dois vice-presidentes do Conselho de Administração dos Hospitais Robert Schumann (HRS) foram vacinados no início da primeira fase da campanha de vacinação, apesar de o Ministério da Saúde ter dado a indicação de que os membros dos conselhos de administração só deveriam ser vacinados no final da segunda fase, a menos que fossem profissionais da saúde no ativo. O caso de vacinação indevida contra a covid-19 é avançado esta terça-feira pela rádio estatal 100,7.

O Diretor da Saúde, Jean-Claude Schmit, reiterou à emissora pública que a fase 1 da campanha de vacinação é destinada aos profissionais da saúde que têm contacto com os pacientes. Os Hospitais Robert Schuman já reagiram através do porta-voz, Marc Glesener, que defendeu que "essa diretiva não tinha sido comunicada pelas autoridades no início da campanha de vacinação. Daí as três pessoas que compõem a presidência do Conselho de Administração do agrupamento de hospitais terem sido escolhidas para fazerem parte das 3.200 que foram vacinadas na primeira fase". 

O porta-voz do HRS garante que só três semanas após o arranque da campanha de vacinação no país o Ministério da Saúde emitiu uma nota a estipular a exclusão dos membros dos conselhos de administração dos hospitais e lares da primeira fase de vacinação, mas permitia a toma do fármaco às presidências dos conselhos de administração dos hospitais. Glesener assegurou que foi neste contexto que o presidente e os dois vices do agrupamento de hospitais foram vacinados. Até porque "passam muito tempo no Hospital e na Zitha Klinik, em reuniões regulares", defendeu. O responsável disse ainda que "o objetivo era proteger o hospital". 


Covid-19. Será possível escolher em que centro se vai ser vacinado
A segunda fase da vacinação deverá arrancar no início de março para as pessoas com mais de 75 anos e as consideradas "altamente vulneráveis".

Limitado à distribuição que é gerida pela União Europeia, o Luxemburgo bem como os restantes Estados-membros não dispõem atualmente de vacinas suficientes para toda a população. O Grão-Ducado prevê vacinar a população em seis fases. A segunda fase, para pessoas acima dos 75 anos e consideradas extremamente vulneráveis, arranca em março. Até à data foram administradas no país 22.895 doses de vacinas contra a covid-19.  

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas