Escolha as suas informações

Agricultura biológica. Luxemburgo na cauda da Europa
Luxemburgo 30.01.2019 Do nosso arquivo online

Agricultura biológica. Luxemburgo na cauda da Europa

Agricultura biológica. Luxemburgo na cauda da Europa

Foto: Gerry Huberty (Arquivo LW)
Luxemburgo 30.01.2019 Do nosso arquivo online

Agricultura biológica. Luxemburgo na cauda da Europa

Diana ALVES
Diana ALVES
O Luxemburgo continua na cauda da Europa no que à agricultura biológica diz respeito.

Dados do Eurostat, divulgados hoje, mostram que o Grão-Ducado faz parte do lote de países da União Europeia (UE) com as menores áreas consagradas ao cultivo biológico em relação à superfície total agrícola. Por cá, apenas 4,2% da área total de cultivo está reservada à produção orgânica, o que coloca o país abaixo da média europeia de 7%.

Na comparação com os países vizinhos, o Grão-Ducado também fica mal na fotografia. Embora com taxas ligeiramente abaixo da média dos países do bloco, as fronteiriças Alemanha (6,8%), Bélgica (6,3%) e França (6%) apresentam percentagens superiores à do Luxemburgo.

Segundo o gabinete europeu de estatística, cujos dados se referem ao ano de 2016, a melhor nota vai para a Áustria, onde 23,4% da superfície agrícola é dedicada ao cultivo biológico. Estónia (19,6%) e Suécia (19,2%) completam o pódio. No outro extremo da lista estão Malta (0,4%), Irlanda (1,7%) e Roménia (1,9%). Já Portugal aparece a meio da tabela, com 7%.

Note-se que, segundo dados provisórios divulgados no ano passado pelo ministro da Agricultura do Luxemburgo, são cerca de 130 as explorações agrícolas de cultivo orgânico, isto é, sem pesticidas. 


Notícias relacionadas