Escolha as suas informações

Agência Imobiliária Social: Faltam 30 mil casas sociais no Luxemburgo
Luxemburgo 23.11.2017

Agência Imobiliária Social: Faltam 30 mil casas sociais no Luxemburgo

Agência Imobiliária Social: Faltam 30 mil casas sociais no Luxemburgo

Foto: Guy Jallay
Luxemburgo 23.11.2017

Agência Imobiliária Social: Faltam 30 mil casas sociais no Luxemburgo

A Agência Imobiliária Social (AIS) estima que faltem cerca de 30 mil casas para as famílias mais pobres no Luxemburgo. O diretor da AIS, Gilles Hempel, calcula que esse seja o número de habitações sociais que são atualmente necessárias no Grão-Ducado para albergar as famílias mais carenciadas.

A Agência Imobiliária Social (AIS) estima que faltem cerca de 30 mil casas para as famílias mais pobres no Luxemburgo.

O diretor da AIS, Gilles Hempel, calcula que esse seja o número de habitações sociais que são atualmente necessárias no Grão-Ducado para albergar as famílias mais carenciadas.

Em sede de comissão parlamentar, Gilles Hempel afirmou que há inúmeros residentes que “não dispõem de meios financeiros para arrendar”, muito menos para comprar casa ou apartamento, devido aos “preços elevados” do mercado imobiliário.

Aquele responsável confirmou ainda que há quem more em casas insalubres e até em caves no país.

Entre as pessoas mais carenciadas estão os desempregados e os beneficiários do Rendimento Mínimo Garantido (RMG).

Gilles Hempel considera que um dos problemas para a falta de casas a preços mais moderados e controlados reside no facto de muitas das habitações sociais, construídas há 10 anos ou mais, terem sido, entretanto, vendidas ao preço do mercado.

Daí que o responsável proponha que as habitações sociais se limitem ao mercado de arrendamento de forma a permanecerem propriedade do Estado e das autarquias.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba a nossa newsletter das 17h30.


Notícias relacionadas

O alerta vermelho dos organismos internacionais sobre o imobiliário
O parque habitacional tem estado no radar de vários organismos internacionais como a organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE), Fundo Monetário Internacional (FMI), Comissão Europeia e até nas notas de avaliação das agências de rating, Standard & Poor’s (S&P) e DBRS. Os alertas têm sido uma constante nos relatórios que têm sido divulgados sobre o Luxemburgo.
A Comissão europeia é um dos muitos organismos internacionais que tem feito reparos ao estado do mercado imobiliário no Luxemburgo.
O raio X do mercado da habitação
É um dos temas mais importantes e sensíveis da batalha eleitoral. O Contacto passou o mercado da habitação pelo raio X para perceber a dimensão do problema. Saiba quantas casas há no Luxemburgo, quanto é que os preços têm subido, quantos proprietários e inquilinos existem.
As propostas dos partidos para o alojamento
Todos os partidos com assento parlamentar apresentam várias soluções para implementar nos próximos cinco anos, caso consigam lugar lugar no Governo. Construir em altura e mais habitação social são algumas das medidas mais populares entre os partidos.