Escolha as suas informações

ADR critica o apoio da Grã-Duquesa ao combate à violência contra as mulheres
Luxemburgo 01.08.2019 Do nosso arquivo online

ADR critica o apoio da Grã-Duquesa ao combate à violência contra as mulheres

ADR critica o apoio da Grã-Duquesa ao combate à violência contra as mulheres

Luxemburgo 01.08.2019 Do nosso arquivo online

ADR critica o apoio da Grã-Duquesa ao combate à violência contra as mulheres

O deputado Fernand Kartheiser da ADR criticou a mulher do Grão-Duque por participar na Orange Week. Xavier Bettel respondeu-lhe.

A presença da Grã- Duquesa Maria Teresa na ‘Orange Week’, movimento contra a violência das mulheres, que foi tão contestada pelo deputado Fernand Kartheiser da ADR, voltou esta quinta-feira a ser tema do dia, e desta vez a questão foi abordada pelo primeiro-ministro Xavier Bettel.

O chefe do executivo mencionou o assunto para responder e esclarecer o deputado da ADR que se insurgiu contra o alto patrocínio da Grã-Duquesa neste evento de alerta contra a violência feminina considerando-a como uma tentativa de "politização" da família real, o que para Kartheiser é inadmissível.

Para Xavier Bettel, o apoio de Maria Teresa a esta causa não é de todo um ato “politizado”. Porque a Orange Week não é uma manifestação política. Este movimento, realça o governante por escrito, incluiu-se nos de âmbito universal de defesa dos direitos humanos, uma missão que deveria ser de “consenso social” entre os seres humanos.

No entender do deputado Kartheiser a Orange Week é uma organização "feminista, sexista e de grande hostilidade para com os homens”. Este deputado considera que este movimento se dirige mesmo contra o universo masculino “como se eles nunca fossem vítimas de violência”. Recorde-se que este político foi, em 2005, o fundador da Associação dos Homens do Luxemburgo.

Por isso, o alto patrocínio de Maria Teresa no evento contra a violência motivou a elaboração de uma questão parlamentar por Kartheiser, a 4 de julho. 

Na resposta por escrito, o chefe do governo baseou a sua clarificação do papel de Maria Teresa enquanto casada com o Grão-Duque no que diz a lei que rege o papel de “esposa de chefe de estado, casada”. E, nota o primeiro-ministro que sua alteza mantém o título de Grã-Duquesa “em atos públicos e privados”. E que Maria Teresa deixará de poder usar este título, em caso de divórcio, ou se se casar de novo após a morte do Grão-Duque.

Por tudo isto, adianta Xavier Bettel a grã-duquesa pode usar o seu título na Orange Week.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

A grã-duquesa Maria Teresa estará enfurecida com o despedimento de uma funcionária da Corte Grã-Ducal, que deveria ser condecorada no âmbito da Festa Nacional luxemburguesa. A trabalhadora externa acabou por perder o emprego depois de os serviços competentes terem descoberto que, afinal, o seu registo criminal não estava “limpo”.
Die Großherzogin kann ihrem Mann aus familiären Gründen nicht zur Seite stehen.