Escolha as suas informações

ADEM. Cada conselheiro atende em média 201 desempregados
Luxemburgo 09.09.2020 Do nosso arquivo online

ADEM. Cada conselheiro atende em média 201 desempregados

ADEM. Cada conselheiro atende em média 201 desempregados

Foto: Lex Kleren
Luxemburgo 09.09.2020 Do nosso arquivo online

ADEM. Cada conselheiro atende em média 201 desempregados

Henrique DE BURGO
Henrique DE BURGO
O atendimento aos desempregados na Agência para o Desenvolvimento do Emprego (ADEM) voltou a ser presencial desde o fim do estado de emergência no Luxemburgo.

Desde o dia 7 de setembro, cada conselheiro profissional da ADEM atende em média 201 desempregados, uma ligeira diminuição em relação a 2019, em que a média era de 204. Os números foram revelados pelo ministro do Trabalho, Dan Kersch, em resposta a uma questão parlamentar dos deputados Marc Spautz e Ali Kaes, do Partido Cristão Social (CSV).

Segundo o ministro, o objetivo do Governo passa por reduzir ainda mais este número e, assim, permitir que os conselheiros prestem um serviço melhor e mais personalizado.

Questionado sobre um eventual reforço do número de conselheiros profissionais na ADEM, Dan Kersch revela que atualmente há apenas duas vagas abertas para este posto, uma das quais dedicada aos jovens, uma das faixas etárias mais afetadas pelo desemprego, agravado pela pandemia da covid-19. 

Numa nota divulgada esta quarta-feira a Câmara de Comércio reconhece a gravidade do desemprego entre os jovens – cuja taxa de 26% no Luxemburgo é uma das mais elevadas da UE –, mas considera que é necessário não esquecer que a crise atual poderá ter "efeitos duradouros e severos" nas perspetivas de emprego dos trabalhadores com mais de 55 anos. Segundo os últimos dados da Agência para o Desenvolvimento do Emprego (ADEM), referentes a julho, o desemprego dos residentes aumentou 26% num ano.  


Luxemburgo sem emprego para jovens com menos de 30 anos
26,9% dos residentes do Grão-Ducado com menos de 30 anos procuram emprego sem sucesso.

O ministro não descarta mais contratações para ajudar a baixar o número de pessoas atendidas por cada funcionário. A aposta do Ministério do Trabalho deverá passar também por mais formação dos conselheiros e pelo alargamento da digitalização do processo de aconselhamento pessoal.  

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas