Escolha as suas informações

Acordo da tripartida foi assinado esta quarta-feira
Luxemburgo 28.09.2022
Crise energética

Acordo da tripartida foi assinado esta quarta-feira

Crise energética

Acordo da tripartida foi assinado esta quarta-feira

Luxemburgo 28.09.2022
Crise energética

Acordo da tripartida foi assinado esta quarta-feira

Redação
Redação
O primeiro-ministro, Xavier Bettel, vai ao Parlamento apresentar o acordo ainda esta tarde.

Agora é oficial. O acordo tripartido entre o governo, patrões e sindicatos foi assinado ao início desta tarde, após aprovação na semana passada. 

Tanto o primeiro-ministro, Xavier Bettel, como os representantes da UEL, a OGBL, a CGFP e a LCGB, assinaram o documento na presença dos vice-primeiro-ministros, Paulette Lenert e François Bausch. 

Ainda esta tarde, o primeiro-ministro irá ao Parlamento apresentar o acordo e cada partido vai ter a oportunidade de dar a sua opinião. 


Francois Bausch.
François Bausch: "Somos como drogados energéticos"
Segundo Bausch, o importante por agora é "aliviar os cidadãos e evitar uma recessão iminente".

As medidas acordadas visam proteger o poder de compra dos residentes no Grão-Ducado, mas também ajudar as empresas confrontadas com o aumento dos preços da energia. Mantém-se a indexação dos salários, apenas para o próximo ano, a limitação do preço do gás até 15% do preço atual, e um desconto de 15 cêntimos por litro no gasóleo de aquecimento. 

O preço da eletricidade não vai subir e o IVA será reduzido em um ponto percentual em todas as taxas. Já o salário mínimo social vai aumentar a partir de 1 de janeiro de 2023. 

O pacote de medidas de apoio às famílias e empresas deverá ter um impacto de 1,2 mil milhões de euros nos cofres públicos. 

O Contacto tem uma nova aplicação móvel de notícias. Descarregue aqui para Android e iOS. Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas