Escolha as suas informações

Acidente em França: Bebé só tem “ferimentos ligeiros” mas continua internado
Luxemburgo 4 min. 18.08.2019

Acidente em França: Bebé só tem “ferimentos ligeiros” mas continua internado

Acidente em França: Bebé só tem “ferimentos ligeiros” mas continua internado

Luxemburgo 4 min. 18.08.2019

Acidente em França: Bebé só tem “ferimentos ligeiros” mas continua internado

Paula SANTOS FERREIRA
Paula SANTOS FERREIRA
Cônsul honorário visitou bebé de 15 meses que está sozinho no hospital. Portuguesa que passou pelo acidente que vitimou os pais do bebé, Carlos Silva e Rita Antunes, conta a destruição que viu.

O Cônsul Honorário de Portugal em Tours, Ilídio Balenas Plheta, visitou esta tarde 0 bebé de 15 meses que está internad0 no Hospital de Clocheville, em consequência do grave acidente de viação em que faleceram os seus pais, Carlos Silva e Rita Antunes, na estrada francesa A10, perto de Blois, na direção da província de Paris em Santenay, Loir-et-Cher.

“O bebé continua hospitalizado, mas tem apenas ferimentos ligeiros, não ficou ferido com gravidade”, disse ao Contacto fonte da Secretaria de Estado das Comunidades Portuguesas, depois de receber a informação do Cônsul Honorário de Portugal em Tours, no final da visita. De acordo com esta fonte, o bebé irá continuar, para já, internado. O bebé de um ano e três meses está neste momento sozinho, num ambiente estranho e sem ter ninguém conhecido a seu lado. 

 “Se entre as pessoas que viajavam nos carros acidentados não havia mais nenhum bebé, então 0 bebé que eu vi foi o português, filho do casal que infelizmente faleceu. Estava ao colo de uma senhora que estava sentada na berma da estrada junto aos carros destruídos”, conta ao Contacto a portuguesa Fátima Milheirão, também residente no Luxemburgo, que passou pelo local do acidente “pouco depois de ele ter acontecido”.

Bebé foi transportada para hospital

Carlos Silva e Rita Antunes, de 34 e 32 anos, mais o bebé de 15 meses, tinha terminado as suas férias em Pousos, Almagreira, perto de Pombal, Leiria, e regressavam de automóvel a casa, em Lasauvage, no Luxemburgo.

“Houve um primeiro acidente entre dois veículos, em que um deles ficou na via de circulação. Um outro veículo embateu nele. Foram duas das pessoas que viajavam neste veículo, uma delas o condutor, que faleceram, indicou Eric Josse, comandante da Segurança Rodoviária de Loir-et-Cher, à imprensa da região. 

O bebé, filho do casal foi transportado para o Hospital Clocheville de Tours para observação, adiantou. E foi este responsável que entrou em contacto com os serviços consulares portugueses para dar a notícia. De acordo com a imprensa, o óbito dos pais do bebé foi declarado no local do acidente.

Portuguesa "horrorizada" com o que viu do acidente

 “Foi um horror. Deviam ser cinco carros, completamente destruídos. Como é que é possível, parecia que tudo o que era chapa e plástico que pertencia aos automóveis saltou para o meio da estrada. Eram só destroços, peças, plásticos, malas de viagem, pertences das pessoas. Fiquei horrorizada. Nunca vi nada assim”, recorda esta portuguesa que, segundo se lembra, passou pouco depois das "6h00 da manhã" deste domingo, quando viajava na A10, pelo grave acidente.

“Na altura ainda não estavam lá nem ambulâncias nem polícias, por isso digo que o acidente deveria ter acontecido há pouco tempo. Havia pessoas na berma da estrada, deveriam ser sobreviventes do acidente. Um dos senhores estava embrulhado numa manta de aluminío. 

"O meu marido que seguia comigo, mais um primo nosso disse que alguém deveria ter esse cobertor e emprestou”, diz Fátima Milherão.

A impressão com que ficou é que aquelas pessoas “se ajudaram umas às outras, enquanto a polícia, bombeiros e médicos não chegaram”.

“O meu marido viu que um dos carros tinha uma matrícula luxemburguesa e disse-nos”, recorda.

Só faltavam quatro horas para chegar ao Luxemburgo

Dali ao Luxemburgo faltavam apenas “quatro horas e meia, ou cinco horas”, vinca. Foi o tempo que estes portugueses demoraram a chegar a casa, em Differange. “Tão pouco tempo que faltava para aquele casal chegar bem com o bebé. Já tinham feito a maior parte do caminho”, contabiliza esta portuguesa ainda chocada com o que tinha visto.

Fátima Milherão e o marido, mais o primo, saíram os três da Praia de Mira, perto de Aveiro, de onde é natural, depois da hora de almoço de sábado, dia 17, e só iam parando, por muito pouco tempo para trocar de condutor, pois os três conduziam e decidiram fazer o percurso direto. 

Ao final do dia, quando falou com o Contacto, ainda “se sentia em choque” com a “destruição” que viu ali na estrada. “E mais horrorizada e nervosa fiquei quando soube que era um casal português com um bebé”, confessa.

Apoio consular dado aos familiares 

Amanhã, os familiares portugueses deverão deslocar-se a Tours para reconhecer os corpos de Carlos Silva e Rita Antunes e visitar o bebé no Hospital, além de terem de tomar decisões quanto ao futuro da criança. 

“O apoio à família continuará a ser feito pelos serviços consulares com a reserva a que a situação obriga. Os familiares de Portugal estão em contacto com estes serviços”, disse a fonte da Secretaria de Estado das Comunidades Portuguesas sem adiantar mais pormenores.

O acidente em que perdeu a vida o casal português provocou ainda “dois feridos graves e quatro feridos ligeiros”, indicou à imprensa francesa Eric Josse, o comandante da Segurança Rodoviária.


Notícias relacionadas